[object Object]
24.03.2021POR Ana Domingues E Miguel Ferreira

Passado, presente e futuro da AAC juntos no Dia Nacional do Estudante

O Dia Nacional do Estudante assinala-se a 24 de março desde 1987, em memória da luta estudantil durante o Estado Novo.

No Dia Nacional do Estudante, a RUC falou com as vozes do passado, do presente e do futuro da AAC e da UC. Neste sentido, começámos por falar com Pedro Marques Dias, o presente da nossa Associação e ocupa o cargo de vice-presidente da Direção-Geral da AAC.

O vice-presidente relembra a história do Dia Nacional do Estudante, que foi promulgado em Assembleia da República em 1987, “com o propósito de assinalar as lutas estudantis da década de 60” e as crises académicas de 1962 e 1969, ano em que “se pediu a palavra”, a 17 de abril. Para Pedro Marques Dias, esta foi uma “geração de ouro” na luta estudantil, ainda durante a ditadura, acrescentando que “devemos continuar a lutar como se fez como no passado”

A intervenção estudantil realizada hoje foi “feita exclusivamente à porta do edifício” da AAC, em vez de uma manifestação em andamento, “como seria de esperar, para controlar melhor as condições de segurança”, devido aos limites impostos pela pandemia. Mesmo assim, a atividade contou com a presença de cerca de 100 estudantes e uma figura alusiva às reivindicações e lutas dos estudantes, como conta o vice-presidente da DG/AAC.

“Façam-nos acreditar num futuro melhor” é o que reivindicam os estudantes, que se uniram por uma caminhada comum: a luta por melhores condições e fim da precariedade.

A todos os estudantes do ensino secundário que pretendem ingressar no ensino superior num futuro próximo, Pedro Marques Dias deixa uma mensagem de esperança e afirma que a AAC continuará a defender os direitos dos estudantes de forma “intransigente”.

Um dia que será celebrado durante vários anos pela Associação Académica de Coimbra, uma promessa feita pela sua atual Direção-Geral.

Também olhámos para o futuro do ensino superior, através dos atuais estudantes do ensino secundário, os próximos a frequentarem a UC. Na Escola Secundária José Falcão, em Coimbra, o presidente da Associação de Estudantes, António Pedro Cruz, conta como os alunos do ensino secundário olham para as conquistas dos estudantes do ensino superior de Coimbra.

Qual a sua opinião dos estudantes em relação à Propina Zero, e das bolsas? O António responde.

Sendo os alunos do ensino secundário quem antecede o ensino superior, procurámos perceber quais as grandes preocupações de quem tenciona prosseguir estudos. O presidente da AE assume que os alunos estão reticentes sobre a escolha da instituição e quais as consequências que essa escolha vai implicar no seu futuro profissional.

Sabemos que a pandemia trouxe dificuldades financeiras a muitas famílias. Também António Pedro Cruz admite que alguns estudantes podem vir a não ingressar no ensino superior por falta de apoios.

O percurso das futuras vozes do ensino superior continua ainda em construção. Por agora, permanece o foco em fazer o melhor possível para uma eventual vaga no próximo ano letivo no ensino superior.

O passado da AAC também esteve representado, através do Alexandre Amado, presidente da DG/AAC no ano de 2017 e 2018, que marcou presença no espaço de comentário do Observatório de dia 24.

PARTILHAR: