[object Object]
16.03.2021POR Ana Domingues

CGUC: “A pandemia veio mostrar o quão pouco nos preocupamos com quem está ao nosso lado”

Maria Vlachou destacou alguns problemas existentes na área cultural e enaltece o poder de uma universidade no desenvolvimento da cultura.

Dia 8 de fevereiro ficou marcado pela tomada de posse dos membros externos do Conselho Geral da Universidade de Coimbra (CGUC), dez personalidades de reconhecido mérito externas à Universidade. Neste sentido, a RUC falou com Maria Vlach ou, um dos mais recentes membros externos cooptados para o Conselho Geral.

Licenciada em História e Arqueologia, pela Universidade de Ioannina, na Grécia, e mestre em Museologia, pela University College London, na Inglaterra, Maria Vlachou é especialista em Gestão e Comunicação Cultural. Em Portugal, trabalhou no São Luiz Teatro Municipal e no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva e é Diretora Executiva e membro fundador da Acesso Cultura, uma associação sem fins lucrativos, que promove o acesso físico, social e intelectual à participação cultural.

Maria Vlachou espera que a sua participação enquanto membro externo no CGUC seja benéfica para o grupo e para a Universidade, mas também a nível pessoal.

Com um percurso académico e profissional bastante ligado à área cultural, Maria Vlachou afirma que é necessário mostrar ao público que “a cultura não é feita por edifícios e instituições”, mas por e para pessoas. Destacou, ainda, alguns desafios que a cultura precisa de ultrapassar, afirmando que este setor ainda é bastante “elitista, paternalista e exclusivo”, problema que não surgiu com a pandemia.

Na opinião de Maria Vlachou, a cultura não é da responsabilidade exclusiva das organizações culturais, e surge da colaboração com diversas áreas, setores e agentes, incluindo as universidades, onde vê “um grande aliado” para trabalhar a cultura de forma a ser “um fator de desenvolvimento pessoal e de cidadania”.

Para a membro externo do CGUC, o ensino superior público é uma “peça fundamental no puzzle que é a criação de um ser humano completo e livre”, que pensa por si e questiona a visão sobre o mundo.

Em nota final, Maria Vlachou confessou ser surpreendida com o convite para ser membro externo do CGUC, que considera uma honra, e espera poder contribuir com os seus conhecimentos e experiência, mas também aprender.

O Conselho Geral é constituído por 35 membros, sendo que compete a este órgão da Universidade funções como a eleição do reitor, a aprovação dos planos estratégicos de médio prazo e o plano de ação para o quadriénio do mandato do Reitor.

Pode ouvir a entrevista na íntegra no podcast acima, ou no Spotify da Rádio Universidade de Coimbra.

PARTILHAR: