Imagem principal
11.03.2021POR Miriam Lopes

Brígida Caiado é a vencedora da competição 3MT da Universidade de Coimbra

“Uma tese de 80 000 palavras demora 9 horas a apresentar. Aqui, o teu limite são 3 minutos“.

É este o mote para o concurso 3 minutes thesis, uma competição académica que desafia os estudantes de doutoramento a comunicar a sua tese em apenas 3 minutos. Na edição deste ano que se realizou no dia 5 de Março, Brígida Caiado, psicóloga clinica, investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental e aluna de doutoramento na Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra foi a grande vencedora. Em entrevista à RUC contou-nos como surgiu a sua participação neste concurso.

A investigadora do CINEICC falou-nos um pouco sobre o projeto intitulado “Detetives das Emoções: Protocolo Unificado para o Tratamento Transdiagnóstico de Perturbações Emocionais em Crianças: estudo de aceitabilidade, viabilidade e eficácia do programa em Portugal”. Um protocolo de intervenção inovador que tem como objetivo o tratamento das perturbações emocionais.

Brígida Caiado sublinha que esta participação, além da experiência, serviu também para divulgar o projeto e o trabalho de toda a equipa.
O grande desafio foi condensar um projeto extenso em complexo em apenas 3 minutos.

Brígida Caiado ficou em primeiro lugar nesta fase do concurso ficando a representar da Universidade de Coimbra na competição internacional organizada pelo Coimbra Group. No entanto o desafio não fica por aqui. O próximo passo é mais uma seleção, agora internacional.

A competição 3 minutes thesis começou em 2008 numa iniciativa da Universidade de Queensland na Austrália. A partir daí a competição tornou-se um fenómeno global tendo sido adotada por diversas instituições em todo o mundo. Na Universidade de Coimbra esta é já a segunda edição.

O vídeo de apresentação do projeto em 3 minutos pode ser visualizado na página de YouTube da Universidade de Coimbra.

A entrevista pode ser escutada na íntegra, no Spotify da Rádio Universidade de Coimbra, ou no serviço de Podcasts RUC.

PARTILHAR: