09.02.2021POR Miriam Lopes

Hoje é dia internacional da internet segura. O cibercrime não comemora.

Comemora-se hoje (9), o dia internacional da internet segura. Data esta, que pretende chamar atenção para o uso mais responsável da tecnologia online.

Comemora-se hoje (9), o dia internacional da internet segura. Data esta, que pretende chamar atenção para o uso mais responsável da tecnologia online, especialmente numa altura em que a situação pandémica e o confinamento abrem ainda mais as portas a possíveis ataques.

A deputada Isabel Oneto, copresidente do Grupo de Controlo Parlamentar Conjunto sobre a Europol, alertou hoje para o aumento do cibercrime, verificado durante esta pandemia. A mudança de hábitos dos cidadãos, que recorrem agora cada vez mais à internet no seu dia a dia, alargam em número e espetro as vulnerabilidades que são rapidamente exploradas por organizações criminosas.

Isabel Oneto defende que o cibercrime obriga a “uma resposta global” e a União Europeia “pode reforçar a troca de informação”,  mas concede que é um combate “muito difícil”. Este assunto conforme afirmado pela deputada do PS, é uma prioridade para a Presidência Europeia mas é preciso ainda “abrir caminho”.

E porque os perigos são reais, todas possíveis precauções devem ser tomadas. A RUC esteve à conversa com António Mendes, engenheiro informático e especialista em segurança, que deixou algumas dicas importantes para evitar a exposição aos ataques ao usarmos os nossos telemóveis e computadores pessoais.

Também as nossas redes sem fios em casa podem ficar facilmente expostas a este tipo de ataques. António Mendes deixa alguns conselhos a ter em conta.

Pequenos pormenores que podem fazer toda a diferença na protecção contra esta ameaça em crescendo que é o cibercrime.

Segundo números divulgados hoje, o dia internacional da internet segura, os pedidos de ajuda à linha da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima sobre cibercrime e conteúdos ilegais aumentaram 575,49% entre 2019 e 2020.

Miriam Lopes (com Lusa)

PARTILHAR: