13.01.2021POR Miriam Lopes E Isabel Simões

PAULO PEIXOTO: “É COMPLETAMENTE INCONCEBÍVEL QUE NÃO SE VEJA MEDIDAS CONCRETAS” PARA APOIAR OS ESTUDANTES E AS ASSOCIAÇÕES

O Observatório de quarta-feira, 13 de Janeiro, teve como comentador o provedor do estudante da Universidade de Coimbra, Paulo Peixoto.

 

“AS REGRAS TÊM SIDO CUMPRIDAS E A LOGÍSTICA TEM ESTADO A FUNCIONAR”

O programa teve como foco principal as dificuldades impostas pela pandemia nas atividades letivas, principalmente na época de exames a decorrer neste momento. Paulo Peixoto acredita que pelo esforço que tem sido feito, as regras sanitárias impostas pela Direcção Geral de Saúde estão a ser cumpridas, mas reconhece que existem algumas situações logísticas que carecem de ajustes. Se o contexto de pandemia se agravar, for necessário retroceder para as aulas virtuais e nova época de exames condicionada, o comentador afirma que serão necessárias mudanças maiores no sistema de avaliação e no planeamento das aulas.

 

“OS ESTUDANTES COM A PANDEMIA, PERDEM MENOS DO PONTO DE VISTA DE FORMAÇÃO, MAS PERDEM MAIS DO PONTO DE VISTA HUMANO”

Paulo Peixoto mostra-se preocupado com a falta de convivência dos estudantes com os seus pares. A situação pandémica veio diminuir a convivialidade entre os estudantes e veio também aumentar a distância entre alunos e professores. A situação tem criado, na opinião do comentador, um clima de desconfiança de ambas as partes.

Outro dos temas abordados foi a falta de apoios por parte da tutela, quer para alunos em dificuldades, quer para as próprias universidades e associações académicas. Paulo Peixoto deixou claro que são necessárias medidas concretas, imediatas e efetivas e não “medidas de fazer de conta de curto prazo”.

 

“O QUE SE PASSOU EM ALGUNS DEBATES É DEPLORÁVEL PARA A DEMOCRACIA PORTUGUESA”

O fim do programa foi dedicado às eleições presidenciais. Paulo Peixoto mostrou-se preocupado com um possível aumento da abstenção. Na sua opinião, em geral, tem-se debatido pouco o que é a presidência da República colocando demasiado foco em dinâmicas partidárias.

O comentário pode ser escutado na íntegra no Spotify da RUC.

 

 

PARTILHAR: