13.01.2021POR Miriam Lopes E Isabel Simões

ESCOLAS VÃO FUNCIONAR COM O PAÍS EM RECOLHIMENTO DOMICILIÁRIO OBRIGATÓRIO

O país vai estar em recolhimento domiciliário obrigatório a partir das zero horas do próximo dia 15.

De fora ficam as escolas de todos os níveis de ensino, conforme explicou o primeiro-ministro, António Costa, ao final da tarde em conferência de imprensa.

Estabelecimentos culturais vão encerrar, acesso aos serviços públicos vai exigir marcação prévia, supermercados e mercearias vão estar abertos assim como consultórios médicos, farmácias e dentistas. As cerimónias religiosas vão poder realizar-se se cumprirem as regras determinadas pela Direção Geral da Saúde. António Costa afirmou que o teletrabalho vai ser obrigatório, “desde que possível”.

Amanhã o ministro da Economia vai explicar os apoios às empresas. O primeiro-ministro assegura que o impacto na economia vai ser negativo, mas acredita que o conjunto de medidas atuais de apoio são mais fortes do que as do confinamento passado e que o reforço dos apoios vai permitir ao país ultrapassar esta situação.

Embora a esperança seja a última a morrer, António Costa acredita que as medidas não vão ser aliviadas passados os primeiros 15 dias deste novo estado de emergência.

O primeiro-ministro mostrou-se também preocupado com a aparente anestesia que parece estar a espalhar-se pelos Portugueses face aos números atuais da COVID-19.

Foram estes os destaques do discurso de António Costa. O confinamento entra em vigor às zero horas da próxima sexta-feira, dia 15. As medidas deverão durar pelo menos um mês.

PARTILHAR: