20/11/19

FMI durante 12 horas nos 107.9 FM

José Mário Branco era um homem e um artista inquieto e militante. Foi um grande compositor, poeta, músico e produtor. Escancarou as portas na forma como abordou a música, revolucionário tanto em 1971 como em 2004, numa complexidade que torna tudo à primeira vista simples. Nas suas letras, encontramos um homem que sabia ler o mundo, a condição humana, as relações sociais e de poder. No homem, encontramos a verticalidade e uma atitude radical. Tanto esteve ao lado de Camané como de Chullage. Editou vários discos, todos eles marcantes. Em 2003, veio a 01 de março ao Teatro Académico de Gil Vicente, a convite da direção da Rádio Universidade de Coimbra, nas comemorações dos seus 17 anos de vida, num sonho antigo dos rucianos da altura. Esteve em palco apenas com dois microfones para a guitarra e para a voz e uma cadeira. Quem esteve lá, diz que foi memorável. Nesse dia, sabendo que José Mário Branco não cantaria o “FMI”, a RUC, na sua atitude sempre subversiva, passou em loop, entre a hora de almoço e a hora do concerto, a canção. Hoje, em homenagem ao cantor, homem, poeta, compositor, militante e artista José Mário Branco deixamos a ecoar nos 107.9 da Rádio Universidade de Coimbra o mesmo “FMI” durante 12 horas, entre as 10h00 e as 22h00.

Até sempre Zé Mário.

 

[Fotografia: Arlindo Camacho]

7
15
13
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-15T15:13:49+00:00
Sun, 15 Dec 2019 15:13:49 +0000