25/03/20

Carlos Braz Saraiva: “É necessária uma grande dose de racionalidade”

O Alvorada desta quarta-feira transmitiu o comentário à atualidade do médico psiquiatra Carlos Braz Saraiva. Em razão das restrições colocadas pelas medidas de contenção do COVID-19, o programa de hoje não foi realizado em direto. 

Carlos Braz Saraiva

A pandemia de covid-19 é o principal assunto das últimas semanas. De acordo com dados do Centro de Recursos John Hopkins para o coronavírus, mais de 435 mil casos já foram registados mundialmente. Desde a última quinta-feira, Portugal está em estado de emergência, com confinamento obrigatório para pessoas infectadas pelo vírus e  orientação de recolhimento domiciliário para os demais. Carlos Braz Saraiva considera acertadas as medidas decretadas pelo governo, frente ao “cenário inédito em que se vive”. O médico destaca a importância das orientações da comunidade científica neste momento. 

O decreto de estado de emergência, com a orientação de recolhimento por pelo menos 15 dias, e a circulação restrita em vias e espaços públicos coloca em pauta também a questão da saúde mental. Entra-se agora, explica Carlos Saraiva, em um período de readaptação das rotinas. 

A recomendação principal do médico, neste sentido, é de que as pessoas mantenham-se ativas. Entre as dicas, estão realizar atividades que estavam ignoradas, cultivar o contacto com amigos, atualizar-se em diferentes competências, como a tecnologia, e relembrar atividades da infância com as crianças em casa. 

De acordo com o psiquiatra, a situação atual pode agravar o quadro de pessoas com ansiedade, fobias e transtornos obsessivos. A reclusão também preocupa em relação da possível agravação de agressões em casos de violência doméstica. É preciso atenção a estes casos, assim como a saúde mental dos profissionais da saúde. Destacamos, abaixo, serviços de apoio que podem ser úteis em circunstâncias como as anteriores. 

Serviços de apoio:

UCare: linha de apoio emocional ligada aos Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra. Criada para auxiliar a comunidade universitária com estratégias de gestão da ansiedade e na gestão do tempo em isolamento e à partilha de informação sobre recursos disponíveis. O atendimento é feito através da plataforma Zoom, com possibilidade de manter o anonimato do utente. Para aceder, basta enviar um e-mail para [email protected].

Centro de Responsabilidade Integrada de Psiquiatria/CHUC: para urgências em relação à situação clínica, ajuda telefónica está disponível de segunda a sexta-feira, das 10 às 13h e das 14 às 17h, através do número 925 958 518. Para agendar contacto com médicos, pacientes podem telefonar, de segunda a sexta, das 10 às 17h, para 239 796 485. 

O CHUC também criou uma linha verde de apoio com recomendações sobre o coronavírus, disponível das 8 às 23h, pelo número 966 274 735. 

Gabinete de Apoio à Vítima do Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra – União de Mulheres Alternativa e Resposta: canal de apoio para situações de violência doméstica. O contato pode ser feito pelo telefone 920 179 950, por e-mail ou Zoom, com o endereço [email protected]

Rede Nacional de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica: estrutura especializada pronta a apoiar casos de violência doméstica ou de género. Atendimentos, para buscar ajuda ou alertar sobre alguma situação de violência doméstica, são feitos através do telefone 800 202 148.

Clínica ISPA: a clínica de psicologia universitária disponibiliza serviços de apoio psicológico e psicoterapêutico gratuitos para profissionais de saúde. As consultas serão realizadas online e podem ser solicitadas pelos contactos [email protected] ou 911 191 822.

O comentário completo está disponível abaixo:

Bibiana Garcez e Rui Rodrigues

1
20
23
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-06T20:23:21+00:00
Mon, 06 Apr 2020 20:23:21 +0000