23/03/20

Pandemia fez soar alerta para risco do aumento de violência doméstica

Na passada semana, a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) reforçou as recomendações de segurança durante este período de isolamento físico e social, tendo em vista o risco do aumento de casos de violência doméstica, que pudesse ocorrer durante este período.

A CIG implementou algumas medidas para prevenir a situação e criou um novo e-mail para apoiar as situações de violência doméstica nesta fase de isolamento – [email protected] – que vai dar resposta aos pedidos de apoio e de suporte emocional, bem como esclarecer questões relacionadas com esta problemática. Também reforçou a divulgação do Serviço de Informação às Vítimas de Violência Doméstica.

Em entrevista à RUC, Sílvia Franklim, que é membro da Rede 8 de março, fez ponto de situação e referiu que ainda não há, neste momento, estudos que permitam apurar um acréscimo destes casos, mas, que no entanto, já há casos registados.

Em relação às medidas implementadas pela CIG, Sílvia Franklim referiu que, apesar da sua inquestionável utilidade, estas não são suficientes e questionou a sua eficácia, uma vez que o espaço de isolamento físico e social das potenciais vítimas e agressores é comum, sendo difícil para a vítima utilizar os meios que foram disponibilizados.

Um mecanismo que pode ajudar é a denúncia por parte de terceiros sobre as situações que possam identificar à sua volta, o que neste momento de isolamento pode ser mais eficaz, na medida que todos ou quase todos estarão em isolamento nas suas casas e podem estar mais atentos à vizinhança, disse Sílvia Franklim.

A criação de um espaço de isolamento físico e seguro para as vítimas foi a proposta deixada por Sílvia Franklim, quando revelou uma preocupação com os casos que já foram identificados e as denúncias foram feitas e os processos que já se encontram a decorrer, dado que as vítimas são, usualmente, encaminhadas para casa e obrigadas, deste modo, a conviver com seu agressor.

Neste período de isolamento, quer físico quer social, apela-se a atenção de todos sobre possíveis casos de violência doméstica que possam passar-se a sua volta.

Reforça-se, também, a divulgação dos contactos da CIG para apoiar nestas situações, neste período. Assim relembramos que poderá utilizar o seguinte email [email protected] ou utilizar o Serviço de Informação às Vítimas de Violência Doméstica através do número: 800 202 148.

Esta linha é gratuita e funciona sete dias por semana, 24 horas por dia.

Ana Neves

1
21
42
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-06T21:42:55+00:00
Mon, 06 Apr 2020 21:42:55 +0000