18/03/20

COVID-19: Ponto de Situação a 18 de março

O número total de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus subiu para os 642 em Portugal, mais 194 casos do que ontem.

Fonte: DGS (18-03-2020)

O Boletim Epidemiológico da Direção-Geral da Saúde de hoje, cujos dados se referem até às 24 horas de dia 17 de março, regista um total de 5067 casos suspeitos, desde 1 de janeiro de 2020, em que, além dos 642 casos confirmados, 551 suspeitos aguardam resultados laboratoriais e 4074 testaram negativo para a COVID-19.

Em vigilância pelas Autoridades de Saúde estão atualmente 6656 contactos. Existem agora 24 cadeias de transmissão ativas.

A distribuição geográfica dos casos mostra a existência de 289 casos na região Norte, 74 casos na região Centro, 243 casos de infeção e 2 mortes na região de Lisboa e Vale do Tejo, sendo que a segunda morte ocorreu na manhã de hoje e foi acrescentada ao boletim, 2 casos no Alentejo, 21 no Algarve, 3 nos Açores, 1 na Madeira e 9 de portugueses com residência no estrangeiro.

A segunda morte por COVID-19 foi a do presidente do Santander, António Vieira Monteiro. O presidente do Santander, que completaria 74 anos no próximo dia 21 de março, contraiu o vírus no norte de Itália, onde tinha estado recentemente de férias. Vieira Monteiro encontrava-se internado no Hospital Curry Cabral em Lisboa.

Em internamento estão 89 pessoas, menos 117 do que o número referido no boletim epidemiológico de ontem. Em Unidades de Cuidados Intensivo encontram-se 20 pessoas.

Sobre a diminuição do número de internamentos, a Diretora Geral da Saúde, Graça Freitas, disse em conferência de imprensa esta manhã que a COVID-19 tem uma regra simples chamada “80-15-5”, ou seja, cerca de 80% das pessoas ficam em auto-cuidados domiciliários, acompanhadas pelo médico de família, pela sua equipa de saúde e/ou pelo seu médico assistente, 15% ficam em enfermaria geral e 5% poderão precisar de cuidados intensivos.

Graça Freitas afirmou ainda existir um grupo de cientistas, epidemiologistas, matemáticos e médicos de saúde pública a estudar o comportamento da COVID-19 em Portugal, sendo já possível ter “alguma ideia para onde estamos a caminhar, quer em termos da curva epidémica, quer em termos de podermos avaliar as medidas que vamos tomando”.

Durante a conferência de imprensa de hoje, foi também demonstrada preocupação com o caso do concelho de Ovar, onde foi decretado o Estado de Calamidade Pública. O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, afirmou que Ovar é um caso de preocupação acrescida devido aos fortes indícios de transmissão comunitária do novo coronavírus, afirmando que este caso deve servir para deixar todos mais conscientes da velocidade de propagação do vírus.

Daniela Silva

1
20
57
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-06T20:57:02+00:00
Mon, 06 Apr 2020 20:57:02 +0000