3/03/20

AREE apresenta alterações aos Estatutos da AAC em Assembleia Magna

Foto cedida pelo Jornal A Cabra

A Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra (AM/AAC) decorreu ontem, dia 2, no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.

João Bento, presidente da Assembleia de Revisão dos Estatutos Extraordinária (AREE) apresentou algumas das alterações estipuladas para os Estatutos da Associação Académica de Coimbra, apesar de ainda não terem entrado em vigor.

A mudança para a eleição por sufrágio direto da Comissão Disciplinar (CD/AAC) foi aprovada pela Assembleia de Revisão de estatutos Extraordinária. À semelhança da eleição para o Conselho Fiscal, a Comissão Disciplinar vai ser constituída por elementos eleitos para o 2º Contingente da AAC, ou seja, representa os associados seccionistas da AAC.

A diminuição do quórum necessário para a realização de Assembleias Magnas foi um dos pontos estatutários deliberados em AREE. A decisão apresentada foi de não diminuir o quórum e acrescentar um ponto que assegura a realização de Magnas apenas com o mínimo de 100 pessoas.

Leonardo Fernandes, presidente da Mesa da Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra (MAM/AAC), em declarações à RUC, refere que esta medida é positiva.

A Revisão da Estrutura da Queima das Fitas também sofreu algumas mudanças, com a introdução de um representante do Conselho Inter-Núcleos, no novo Conselho Diretivo da Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF). No total, o órgão passa a ter seis elementos, o que pode levar a situações de empate. A dúvida foi levantada por vários intervenientes e explicada por João Bento durante a sessão.

O Relatório Anual e Contas referente ao ano de 2019 e o Plano Orçamental para 2020 foi apresentado por João Gonçalo, administrador da Direção-Geral. Referiu que a dívida da Associação Académica diminui e acrescenta que a festa das Latas deu um lucro de 60 mil euros à casa.

Francisco Costa, presidente do Conselho Fiscal (CF/AAC), subiu ao púlpito para explicar que a entrega do relatório e contas e do Orçamento, por parte da Direção-Geral, foram entregues fora dos prazos estipulados pelos estatutos o que impossibilitou a realização do parecer pelo CF.

Tanto o Relatório Anual e Contas de 2019, como o Orçamento da AAC para 2020 não foram a votação devido à falta de quórum.

Daniel Azenha, Presidente da Direção-Geral da AAC, adiantou que para o Dia do Estudante, dia 24 de março, estão a organizar uma manifestação pública no sentido de reivindicar uma maior participação dos estudantes no Governo, uma vez que o Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES) não é discutido desde 2012.

Daniel Azenha frisou ainda a intenção de desenvolver novas ações políticas e trazer para a discussão novos temas como a transição tecnológica, alterações climáticas e desigualdades.

A necessidade de reabilitar o edifício da AAC foram um dos problemas levantados por António Cerca, Presidente da Televisão da Associação Académica de Coimbra, devido à falta de condições de trabalho no 5º piso do edifício. Daniel Azenha avança que as Cantinas Amarelas vão reabrir, no próximo dia 26 de março, com prato social.

Inês Morais

1
21
16
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-06T21:16:21+00:00
Mon, 06 Apr 2020 21:16:21 +0000