12/02/20

Helena Freitas: “Coimbra não segue uma lógica de modernização”

O Alvorada de hoje (12) contou com comentário à atualidade noticiosa por parte da coordenadora do Centro de Ecologia Funcional e professora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), Helena Freitas.

O ex-comissário europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, foi distinguido na passada sexta-feira (8) com o Prémio Universidade de Coimbra 2020. A decisão foi anunciada pelo reitor Amílcar Falcão. Helena Freitas começou o programa por realçar a relevância do trabalho de Carlos Moedas enquanto comissário europeu. A professora da FCTUC considera que é necessário aplaudir a decisão da UC de atribuir o prémio a Carlos Moedas.

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) anunciou a intenção de retirar de 40 mil carros da baixa lisboeta. O plano abrange três freguesias numa área denominada Zona de Emissões Reduziadas Avenida Baixa Chiado. (ZER ABC). Questionada sobre a possibilidade de projetar uma zona semelhante em Coimbra, Helena Freitas mostrou-se reticente. Na opinião da antiga deputada Coimbra está num “patamar longíquo” no plano do planeamento urbano face a Lisboa e ao Porto. Na perspetiva de Helena Freitas, a cidade de Coimbra não segue uma “lógica de modernização”.

A eutanásia e as relações paralelas entre o Metro Lisboa e o Metro Mondego foram outros dos temas em destaque no programa. Houve ainda tempo para uma análise sobre o Coronavírus. Já o final do programa ficou reservado para a rubrica de todas as quartas: “Abrimos o baú” de Rui Rodrigues.

Tomás Cunha

6
19
19
0
GMT
GMT
+0000
2020-02-22T19:19:46+00:00
Sat, 22 Feb 2020 19:19:46 +0000