2/02/20

Laura Afonso conduziu visitantes por ‘Cidades e Lugares’ de Nadir

Está em exibição no Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC), em Coimbra, uma mostra da última fase produtiva de Nadir Afonso. A exposição que trouxe para as luzes de uma galeria alguns inéditos, foi espaço para uma visita guiada na sexta-feira, 31, conduzida pela presidente da Fundação Nadir Afonso — viúva do arquiteto e pintor inserido no abstracionismo geométrico — e que também é comissária da exposição.

Olhar de longe para os quadros do pintor provoca a inquietação do caos. Uma aproximação às telas e aos guaches originais revela um meticuloso traço, resultado de um processo pormenorizado. Em entrevista à RUC à margem do evento, Laura Afonso escreveu um pequeno estudo que é ampliado, definido e redefinido no traço, passado a guache e ampliado à escala da tela.

“Nadir Afonso: Cidades e Lugares” é uma exposição que mostra alguns dos últimos trabalhos do pintor. Quando inaugurou em Coimbra em meados de janeiro, revelou 20 guaches e 12 telas, entre eles, alguns dos “trabalhos que mais identificam a obra” de Nadir Afonso. São retratos de cidades, quase na totalidade realizados no século XXI, que o MNMC vai ter em exposição gratuita até ao dia 15 de março de 2020.

Uma parede cheia de inéditos

A exposição tem lugar numa das salas do MNMC: uma planta retangular que dispõe nas paredes as telas de grande formato e os guaches de menor escala, e que no centro revela os passos de estudo anteriores à obra.

Durante a entrevista à RUC, Laura Afonso apontou para a parede do fundo e a ela se referiu para destacar a singularidade desta mostra em Coimbra. Na parede do fundo, oposta à entrada na sala, os guaches ali expostos — pendurados no respeito da geometria que Nadir impunha aos seus trabalhos — são inéditos.

A cidade de Coimbra também ficou registada nas obras do pintor que estão na exposição. Durante o exercer da profissão, Nadir Afonso chegou a trabalhar em Coimbra a convite do arquiteto Carlos de Almeida. Laura Afonso referiu que “todos os lugares onde se vive acabam por marcar” uma pessoa.

Uma prática de urbanismo adquirida também no contacto com o arquiteto e pintor francês Charles-Edouard Jeanneret-Gris, mais conhecido pelo pseudónimo Le Corbusier.

A exposição “Nadir Afonso: Cidades e Lugares”, e que vai ficar até dia 15 de março.

André Jerónimo

1
1
14
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-06T01:14:18+00:00
Mon, 06 Apr 2020 01:14:18 +0000