21/01/20

Participação cívica e respeito em discussão em intercâmbio jovem organizado pela SDDH

Durante a última semana, de 11 a 18 de janeiro, 30 jovens de cinco países reuniram-se em Coimbra para um programa de intercâmbio jovem, no âmbito do Erasmus+. O Youth Exchange “Be! React! Fight!”, do qual participaram pessoas de Portugal, Grécia, Itália, Lituânia e Romênia, foi organizado pela Secção de Defesa dos Direitos Humanos da Associação Académica de Coimbra (SDDH-AAC). Os participantes tinham idades entre os 18 e 35 anos. 

Foto: SDDH-AAC

Para Luiza Rocha, presidente da Secção, para encontrar “a base dos direitos humanos, a gente precisa conhecer coisas diferentes do que aquilo que a gente já tem como certo, como garantido”. Este Youth Exchange, explica, traz a reflexão como foco e “causa muito conhecimento não só das diferenças, mas principalmente das semelhanças”. 

Algo transversal aos programas Erasmus é partilhar, aprender e conviver com diferentes culturas, enquanto se fortalece uma identidade para o “jovem europeu”, que pode transitar com facilidade entre os países. As viagens dos participantes estrangeiros até Coimbra foram, inclusive, financiadas pelo projeto. 

Foto: SDDH-AAC

Os participantes portugueses têm um papel importante na equipa, auxiliando no intercâmbio da cultura local com os demais. É o que destaca Francisca Leal, que veio de Lisboa: “quando fazemos workshops, fica sempre um português em cada grupo. Sabemos o que é viver em Portugal e, dessa maneira, podemos ajudá-los”. 

Mona Avik, uma das participantes que veio da Lituânia, defende que o contato próximo com pessoas de outros países permite um diferente entendimento dos problemas enfrentados em cada localidade: “até encontrares e conheceres essas pessoas, que te falam sobre os seus problemas a partir das suas experiências pessoais, tu não pensas tanto sobre isso”. Essa visão mais próxima dos povos de outros países também pode auxiliar na quebra de estereótipos sobre cada cultura, ainda muito comuns. 

O projeto centrou-se na promoção do debate sobre temas de participação cívica, iniciativa jovem, cidadania e direitos humanos. Para a presidente da SDDH, apesar de pontos de vista diferentes sobre diversos temas, sobressaiu-se a busca por um ponto comum entre todos.

O principal, para Francesca Politi, que veio de Itália, é o respeito entre as culturas: “Não é só sobre os tópicos que discutimos, é também sobre respeitar as opiniões dos outros, aprender sobre diferentes pontos de vista”. “Não entras em contato somente com informação, é algo maior do que isto”, afirma.

Mona Avik acredita que uma das melhores formas de transformar o que nos rodeia é demonstrando que tipos de mudança são possíveis, através do exemplo: “algumas pessoas, por vezes, não têm certeza de como devem agir, se devem agir ou não, então elas seguem algum exemplo próximo delas”, explica. 

Para Orsolya Biró, do grupo da Roménia, os debates promovidos pelo Youth Exchange permitem, de forma única, a partilha de informações de como agir nos seus contextos específicos, principalmente através da troca de informações, de boas e más práticas.

Este projeto Erasmus+ foi organizado pela SDDH-AAC durante mais de um ano, com apoio da União Europeia. 

Bibiana Garcez

6
19
02
0
GMT
GMT
+0000
2020-02-22T19:02:23+00:00
Sat, 22 Feb 2020 19:02:23 +0000