30/12/19

Carlos Cortes: “Médicos fogem do SNS por falta de condições de trabalho”

O Alvorada de hoje contou com o comentário à actualidade de Carlos Cortes, médico e presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM).

Carlos Cortes condenou a violência doméstica e a que é exercida sobre profissionais de saúde. O médico afirmou ser necessário mudar a legislação para proteger aqueles que colocam a sua vida em risco para salvar a dos outros. O representante da Ordem do Médicos (OM) revelou ainda preocupação com outro tipo de agressões, as morais e sexuais, nas instituições de saúde.

Carlos Cortes explicou a diferença entre Ordem e Sindicato, a OM conforme decorre dos seus estatutos e do papel que lhe é conferido pelo Estado tem de defender a qualidade da saúde. Os sindicatos têm uma esfera de actuação mais laboral disse.

O discurso de Natal do Primeiro Ministro António Costa foi feito numa Unidade de Saúde Familiar e teve como tema único a saúde. O presidente da SRCOM destacou que mais do que boas intenções há que ter coragem de fazer reformas.

Os serviços de urgência mereceram comentário do médico. Carlos Cortes afirmou que 80% das “urgências” não precisavam de ser atendidas num hospital.  Para o clínico a situação está há muito tempo identificada mas é necessária coragem para a mudar.

Carlos Cortes afirmou que a saída de médicos do Serviço Nacional de Saúde publico é resultado da falta de condições que este oferece para a sua atividade. O médico defendeu que uma melhoria das condições de trabalho seria um bom motivo para atrair os profissionais de saúde.

Carlos Cortes comentou ainda a formação de médicos, a falta de acesso às especialidades, os mapas de colocação de médicos e a construção da Maternidade de Coimbra.

Pode ouvir o Alvorada na íntegra aqui

Rui Rodrigues

5
3
33
0
GMT
GMT
+0000
2020-02-28T03:33:57+00:00
Fri, 28 Feb 2020 03:33:57 +0000