20/12/19

Ana Maria Ramalheira: “É preciso que hajam mais ADAV’s neste país”

O Alvorada de sexta-feira (20) teve como comentadora à atualidade noticiosa a professora da Universidade de Aveiro e membro da Associação de Defesa e Apoio da Vida, Ana Maria Ramalheira.

Esta sexta-feira, (20), 12 distritos de Portugal Continental amanheceram sob aviso laranja. Durante a noite de quinta-feira Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Aveiro estiveram sob aviso vermelho devido a ocorrência de rajadas de vento, causada pela passagem da depressão Elsa. O mau tempo deixou, até o momento do Alvorada de hoje, 51 desalojados e dois mortos, um camionista atingido por uma árvore no Montijo e um habitante de uma moradia que colapsou em Castro Daire. A comentadora, Ana Maria Ramalheira, indica que especialistas da área climática da academia de Coimbra devem atuar na redução do impacto causado pelas inundações e relaciona o tema das alterações climáticas à questão.

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) vai analisar e votar na sua reunião do executivo, na próxima segunda-feira (23), nove propostas de apoio financeiro a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS). No valor global de cerca de 129 mil euros, as instituições vão ser beneficiadas no âmbito do Regulamento Municipal para Atribuição de Apoios na Área Social (RMAAAS). A proposta de apoio financeiro vai contemplar IPSS como a CULTURAL – Associação de Apoio Social e Desenvolvimento das Casas Novas, em 35.750,02 euros; a ACERSI – Associação das Cozinhas Económicas Rainha Santa Isabel, em 27.077,16 euros; o Centro Comunitário de Desenvolvimento e Solidariedade Social de Coimbra, em 4751,99 euros e a ADAV – Associação de Defesa a Apoio da Vida, em 13.559,53 euros. A comentadora, que é membro da ADAV, aproveita o espaço do Alvorada para enaltecer a instituição, ao considerar que a mesma é merecedora do benefício. Além disso, a professora da Universidade de Aveiro promove a ação de apoio a natalidade da ADAV, destinada ao auxilio a casais jovens que desejam ter filhos, mesmo que em condições adversas.

Devido a questões como a poluição e o trânsito, a comentadora classificou a situação de Coimbra como “caótica”. Apesar disso, Ana Ramalheira defendeu que a cidade tem potêncial para figurar entre as melhores para se viver em Portugal. Seriam necessários, na visão da comentadora, investimentos nos transportes colectivos e nas áreas verdes da cidade para impulsionar uma melhora na qualidade de vida dos cidadãos.

A requalificação do edifício central do Seminário Maior de Coimbra está prevista em 4,6 milhões de euros. Esta reforma pretende revitalizar o edifício e torná-lo num abrigo com 44 quartos para peregrinos, numa tentativa de se impulsionar o turismo religioso na cidade. Pra além disso, está prevista a concessão de um espaço para instituições privadas transformarem o antigo edifício da gráfica do Seminário num lar da terceira idade. A concessão vai possibilitar a instituição receber cerca de três milhões de euros, que vão assegurar parte do orçamento da reforma do edifício central. O reitor do Seminário, padre Nuno Santos, disse à Lusa que as obras vão ocorrer sem qualquer apoio externo a Diocese. Segundo a comentadora, o Seminário é um espaço “lindíssimo” de Coimbra que merece ser revigorado. Ramalheira pondera ainda sobre o estado dos patrimônios históricos da cidade.

O Alvorada de hoje ainda abordou assuntos como o lançamento do projeto Académica Start UC – Ensino Secundário, criado pela Universidade de Coimbra em colaboração com a Associação Académica de Coimbra (AAC), a possibilidade de geminação da cidade de Coimbra com a cidade italiana Narni e o comentário acerca da situação da natalidade em Portugal. A íntegra do programa está disponível no link abaixo.

Tom Barth e Nino Cirenza

7
4
07
0
GMT
GMT
+0000
2020-01-19T04:07:45+00:00
Sun, 19 Jan 2020 04:07:45 +0000