18/12/19

Nuno Peixinho: “Todos são a favor da investigação quando é paga pela FCT”

O comentário à atualidade no Alvorada de hoje (18) ficou a cargo de Nuno Peixinho, astrónomo, professor de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e presidente da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica.

Na noite de segunda-feira (16), o Orçamento de Estado para o ano de 2020 (OE 2020) foi entregue à Assembleia da República. No âmbito da educação, a proposta de orçamento para a Fundação de Ciência e Tecnologia (FCT) foi de 685 milhões de euros, 48 milhões a mais do que para 2019. No entanto, neste ano, estima-se que tenham sido investidos, até o final de novembro, cerca de 476 milhões de euros. Nuno Peixinho questiona a falta de aplicação das verbas.  

De acordo com a proposta de OE 2020 para a FCT, o objetivo é aumentar o investimento em instituições científicas e no emprego científico. Relativamente a isto, foi nomeado, nesta segunda-feira, um grupo de trabalho para discutir a questão. A coordenação ficou com Helena Nazaré, ex-reitora da Universidade de Aveiro. O presidente da ABIC questiona a efetividade da iniciativa. 

Peixinho dá ênfase, também, para a situação de muitos investigadores que, há cerca de um ano, passaram a ter contratos de termo certo com suas instituições. Os contratos, no entanto, têm duração máxima de seis anos e substituem, nestes casos, as bolsas de investigação – ainda que tenham regime bastante similar de avaliação periódica. O professor sublinha a gravidade da situação que se colocará no final deste período, dentro de cerca de cinco anos. Caso haja o desejo de que os profissionais continuem nas instituições, será necessário abrir concursos para um novo contrato, que teria de ser financiado pelas universidades diretamente, e não pela FCT. 

No âmbito da astronomia, foi lançado hoje o satélite europeu Cheops, que teve participação portuguesa. O astrónomo explica o funcionamento do equipamento e destaca outros acontecimentos recentes da área.

No Alvorada desta quarta-feira houve, ainda, espaço para comentário sobre o Plano Estratégico da Universidade de Coimbra para 2019-2023 e também para a rubrica Abrimos o Baú, produzida por Rui Rodrigues. O comentário completo está disponível no MixCloud da Informação RUC. 

Bibiana Garcez

5
17
18
0
GMT
GMT
+0000
2020-04-03T17:18:17+00:00
Fri, 03 Apr 2020 17:18:17 +0000