4/12/19

José Dias: “a criação [de uma secção de] desporto adaptado já tardava”

O comentário à atualidade do Alvorada desta quarta-feira (4) ficou a cargo de José Dias, ex-presidente da Direção Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC) e deputado da Assembleia Municipal de Coimbra pelo Partido Socialista.

O relatório PISA, produzido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) de três em três anos, teve seus resultados divulgados nesta semana. Entre os dados apontados, está a situação dos estudantes de origem socioeconómica mais baixa, cujos resultados ficam, em média, 95 pontos abaixo daqueles advindos de classes mais altas. José Dias relaciona estes números com a dificuldade destes jovens nas universidades, uma situação patente hoje em Portugal. 

O ex-presidente da DG/AAC considera que é necessário repensar o modelo de financiamento das instituições públicas de ensino superior, de forma a afastar a obrigação do pagamento de propinas. Para ele, já há uma evolução nas discussões neste sentido. José Dias ainda considera que a diferença de valor das propinas para estudantes internacionais não é justa.

Ainda no âmbito do acesso ao ensino superior, a Universidade de Coimbra apresentou nesta semana o programa “UC For All”, um plano de “promoção da igualdade de oportunidades no acesso e sucesso no ensino superior, com foco na inclusão de estudantes com deficiência e necessidades especiais”. José Dias considera que a iniciativa é de extrema necessidade para a instituição e destaca a criação da primeira Secção de Desporto Adaptado da Associação Académica de Coimbra, a Pro-Secção de Boccia. 

A situação do Organismo Autónomo de Futebol da Associação Académica de Coimbra também foi tema do comentário. No final de novembro, a Assembleia Geral da AAC/OAF foi a que teve maior participação nos últimos anos e resultou na decisão de não se avançar para uma Sociedade Anónima Desportiva. Dias ressalta o perigo que se criaria para a AAC, de forma geral, ao ceder seu nome e imagem para um grupo económico. No entanto, ele entende que é necessário discutir outras saídas possíveis para a equipa, que passa por dificuldades financeiras. 

Um dos assuntos de destaque da semana é a vinda da jovem Greta Thunberg à Portugal. Uma das principais vozes da atualidade no que toca à urgência climática, Greta tem sido representada como uma “menina zangada” pelos principais diários nacionais. As reações da população quanto à chegada da jovem a Portugal, à decisão da UC de deixar de servir carne de vaca e outras situações relacionadas à mudança climática demonstram, na opinião de José Dias, a dificuldade de compreensão da necessidade de mudanças neste sentido. 

No Alvorada de hoje, ainda houve espaço para comentários sobre as Grandes Opções do Plano Orçamentário para Coimbra em 2020, entre outros temas, e para a rubrica Abrimos o Baú, produzida por Rui Rodrigues. 

O comentário completo está disponível abaixo:

Bibiana Garcez e Tom Barth

7
15
10
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-15T15:10:03+00:00
Sun, 15 Dec 2019 15:10:03 +0000