18/11/19

Vitor Dias da Silva: “Aeródromo de Coimbra encerrado não pára actividade do Aero Clube”

Foto RUC

O comentário à atualidade no Alvorada de hoje (18) ficou a cargo de Vitor Dias da Silva, engenheiro, docente na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e presidente do Aero Clube de Coimbra.

O docente destacou da revista de imprensa apresentada a situação em Hong Kong onde os estudantes querem manter um sistema político do tipo ocidental.

A Associação Académica de Coimbra (AAC) está em pleno período eleitoral e o engenheiro congratulou-se por haver duas listas e um debate de ideias para quem vencer defenda melhor os estudantes. Já no que respeita à discussão existente no Organismo Autónomo de Futebol (OAF) relativamente ao sistema de gestão do futebol, Vitor Dias da Silva afirmou que é normal que o futebol se modernize e que seja gerido como uma empresa.

O encerramento do Aeródromo Municipal Bissaya Barreto (AMBB) foi tema em destaque dado Vitor Dias da Silva ser presidente do Aero Clube de Coimbra. O docente da FCTUC afirmou que a não certificação do AMBB  por parte da Associação Nacional de Aviação Civil ( ANAC) e o seu posterior encerramento aconteceu devido à tempestade Leslie mas o trabalho necessário para a nova certificação não terá sido feito a tempo.

Vitor Dias da Silva referiu que a manga destruída pela Leslie foi substituída já com o aeródromo fechado por uma mais moderna e com outras funcionalidades. O presidente do Aero Clube alertou ainda para falhas existentes,  anteriores ao  encerramento do aeródromo, na informação aos pilotos dada pelo  pessoal a trabalhar na torre do AMBB.

Vitor Dias da Silva afirmou querer construir no ABB um hangar para proteger as aeronaves. O docente explicou que cabe à Câmara Municipal de Coimbra ceder o terreno apropriado e licenciar a obra cuja execução  caberia ao Aeroclube de Coimbra.

O docente da FCTUC explicou ainda como se processa o abastecimento de combustível às aeronaves. Vitor Dias da Silva afirmou que tudo se faz através de um camião cisterna cedido pela Força Aérea que funciona como depósito, quase não se move e é ele também reabastecido por outro camião cisterna. O presidente do  Aero Clube de Coimbra afirmou só haver um tipo de combustível no ABB faltando outro que é o necessário para as turbinas.

Vitor Dias Silva destacou ainda que, com o encerramento do Aeródromo de Coimbra, o Aero Clube se viu obrigado a utilizar o aeródromo de Santarém para as aulas práticas. O presidente do Aero Clube dirigiu ainda um convite à comunidade estudantil para se inscrever nos cursos de piloto.

Rui Rodrigues

7
16
06
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-15T16:06:53+00:00
Sun, 15 Dec 2019 16:06:53 +0000