13/11/19

Lista C propõe mais financiamento para apoiar atividades da AAC e diminuir dívida

Daniel Azenha, candidato à Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra, esteve ontem de manhã (12) no programa Alvorada, para apresentar as bandeiras da Lista C – Académica Contigo.

O Conselho Académico do Organismo Autónomo de Futebol da Associação Académica de Coimbra marcou a atualidade do dia, foi por aí que a entrevista começou.

Daniel Azenha reforçou a intenção de ter um bom relacionamento com todos os organismos da casa de que o Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) faz parte. Sobre a proposta apresentada pela atual direção da OAF em Conselho Académico, de passagem a Sociedade Anónima Desportiva, Daniel Azenha lembrou o comunicado lançado pela DG/AAC sobre o assunto em 28 de maio.

A AAC tem um elemento no Conselho Académico e na direção do OAF. O vice-presidente da DG/AAC, João Assunção esteve no Conselho Académico que se realizou na última segunda-feira, dia 11, e relembrou a posição da AAC, esclareceu Daniel Azenha.

Deixar um plano estratégico para os próximos três a quatro anos para que “quem venha perceba as linhas orientadoras do mandato anterior”, é uma das propostas do candidato da Lista C. O fim da dívida externa, foi um objetivo do anterior mandato, diminuída em cerca de 100 mil euros, não está ainda encerrada. A estabilidade financeira continua a ser uma das maiores preocupações do candidato e atual presidente da DG/AAC.

A AAC tem de aumentar o financiamento público de entidades como a Câmara Municipal ou o IPDJ. Durante o ano em curso foram poucas as oportunidades que a DG/AAC, deixou “escapar”, afirma o candidato.

A aproximação das secções desportivas ao desporto universitário e o aumento da prática desportiva por parte da comunidade estudantil são duas inquietações. A Liga Académica dos Jogos Universidade de Coimbra é uma solução. No campo desportivo, a carência de espaços de treino e de competição são uma limitação.

A AAC tem o Campo de Santa Cruz, o Estádio Universitário é da Universidade de Coimbra (UC) e o Jorge Anjinho sofreu danos que vão começar agora a ser reparados. A “boa notícia” é que o piso do Jorge Anjinho vai ser substituído por um material que permite competições de primeira divisão, revelou o ainda presidente da DG/AAC.

Para Daniel Azenha a UC começa a ter responsabilidade acrescida na contribuição financeira para o desporto, uma vez que tem aumentado a procura da Universidade por parte de jovens praticantes federados.

A dívida interna à Queima das Fitas está a ser paga mensalmente lembra o candidato da Lista C, Académica Contigo . A dívida às secções desportivas aguarda acordo com uma instituição bancária, como já existiu no passado, sustenta.

O Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES) carece de revisão desde 2012. Por altura da última campanha para as Eleições Legislativas a AAC recebeu os partidos políticos. Daniel Azenha expressou a todos a necessidade de os estudantes terem uma participação maior nos órgãos de gestão das Instituições de Ensino Superior. A revisão do RJIES vai ter de acontecer no próximo mandato da DG/AAC, garantiu.

Insatisfeito com a Ação Social Escolar, o aumento das bolsas é, para o candidato da Lista C, uma urgência. O “limiar cinzento” em que ficam os estudantes sem direito a bolsa mas que não têm condições financeiras para continuarem no Ensino Superior preocupa o candidato da Lista “Académica Contigo”. Acrescentou que a dificuldade de entrada no mercado de trabalho, a precariedade e os baixos rendimentos auferidos pelos jovens com instrução superior, exigem do governo “mão pesada”.

A falta de Residências Universitárias e o alojamento estudantil passam, no entender de Daniel Azenha, por estratégias de controlo do mercado por parte do governo. “Não é só a falta do número de camas mas também o encarecimento dos quartos privados” e a qualidade das infraestruturas das Residências Universitárias” que são preocupação, disse.

A promessa de reorganização dos espaços do edifício sede na Rua Padre António Vieira, vem de mandato anterior. O candidato assumiu a necessidade de “obras profundas” nas instalações do edifício sede da AAC e revelou já ter levado o assunto à reitoria, enquanto presidente da DG/AAC.

A atividade extra curricular tem sido muito afetada por Bolonha, e por consequência a participação nas secções culturais tem diminuído. O estudante propõe a continuidade da Semana Cultural da UC para que estudantes e cidade conheçam melhor as atividades das secções da AAC. Deixar um projeto para que o Museu Académico tenha lugar na casa mãe é outra das ambições da Lista C.

Quanto aos Organismos Autónomos da AAC, a relação passa sempre por “compreender os seus problemas” bem como de estudar a possibilidade de atividades conjuntas, refletiu o candidato. O exemplo do acordo firmado entre a OAF e a AAC, em que elementos da AAC marcam presença quer na direção quer no Conselho Académico, permitiu a promessa de tentar uma maior aproximação com os outros organismos.

Daniel Azenha realçou o papel dos 26 núcleos em trazer as questões do dia-a-dia da vida estudantil para conhecimento da DG. Saídas profissionais, problemas pedagógicos, de infraestruturas e de dificuldade para quem tem mobilidade reduzida foram identificados. As propostas do candidato da Lista C passam por apoio financeiro e ajuda na organização das várias feiras de emprego.

Com a aplicação do processo de Bolonha o tempo passado nas universidade é menor. Uma das causas foi a diminuição do tempo dedicado às atividades extracurriculares, constata o candidato. A forma de avaliação e incumprimento dos regulamentos pedagógicos da UC e das faculdades por parte de alguns docentes, são dois alvos de preocupação. Daniel Azenha deixou a promessa promessa de maior atenção a questões pedagógicas.

A entrevista passou ainda pelas filas nas cantinas. Para além do prato social nas Amarelas estão em curso melhorias na cantina da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física e polo II da UC, adiantou o candidato da Lista C.

Sobre as alterações climáticas e as ações da AAC em favor do clima, o estudante pensa que a missão da instituição passas por alertar os estudantes em relação à temática. A reutilização de copos no bar da AAC, contentores de lixo próprios para reciclagem no edifício sede, intervenções na iluminação e torneiras para que não se desperdice água, são algumas dos “pequeninos passos” em curso. Em relação à participação na greve do clima que vai ocorrer no dia 29 de novembro, Daniel Azenha aguarda o resultado eleitoral. Aproveitou para esclarecer a participação da DG/AAC na última greve do clima.

O processo eleitoral está em curso. Amanhã, quinta-feira, dia 14, tem lugar o voto antecipado desde as 09h30 até às 24h00 nas instalações da AAC. O voto nas Faculdades tem lugar no dia 19.

Ontem, terça-feira, 12, a RUC, em parceria com o Jornal A Cabra, promoveu um Debate com os candidatos aos Corpos Gerentes da AAC no Auditório do Polo III. A sessão, contou com a participação dos candidatos à DG, Daniel Azenha (Lista C) e Diogo Vale (Lista R).

Na quinta-feira, 14, é a vez dos candidatos à Mesa da Assembleia Magna, Leonardo Fernandes (Lista C) e Nátali dos Santos (Lista R), dessa vez numa emissão fechada ao público, a ter lugar nos estúdios da RUC.

A contagem dos votos, no dia 19, vai ser acompanhada ao minuto pela RUC, com convidados, entrevistas com candidatos e antigos dirigentes da AAC e diretos das várias secções de voto.

Isabel Simões

7
15
51
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-15T15:51:10+00:00
Sun, 15 Dec 2019 15:51:10 +0000