3/10/19

LEGISLATIVAS ’19: João Pacheco Amorim “conservador nos costumes, liberal na economia”

A edição do Alvorada desta quinta-feira (3) contou com o comentário à atualidade por parte de João Pacheco Amorim, cabeça de lista do partido Chega! às eleições legislativas pelo círculo eleitoral de Coimbra, advogado doutorado em Direito Administrativo e professor da Universidade do Porto. 

O candidato define-se como independente “especial”, uma vez que faz parte do Partido pela Vida/Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC). João Pacheco Amorim explica a coligação informal que foi feita entre o seu partido e o Chega!, que alcança 1,5% das intenções de voto, segundo as sondagens feitas até o momento. 

Questionado sobre a separação dos ideais religiosos da gestão de um estado laico, Amorim destaca a necessidade de independência da Igreja, mas também a importância, na sua conceção, dos valores cristãos. 

No âmbito político-económico, destacam-se as bandeiras liberalizantes propostas pelo Chega! e pelo PPV/CDC. Para o cabeça de lista, não é possível aumentar salários sem crescimento económico proporcionado pela iniciativa privada. 

A redução de impostos também é uma forte bandeira dos partidos liberais, proposta também pelo Chega! dentro das suas “70 medidas para reerguer Portugal”. João Pacheco Amorim considera a carga tributária do país um erro económico.

Outra das propostas do partido, ainda que em uma “dimensão simbólica”, como define o cabeça de lista, é uma mudança no sistema político. Neste caso, a sugestão é uma transição para o presidencialismo.

A redução do número de deputados, de 230 para 100, é considerada uma mudança mais exequível, uma vez que há possibilidade de fazê-la através de lei, sem necessidade de alteração da Constituição. Além disso, o candidato destaca que outros partidos também estão a defender esta bandeira. 

O combate à corrupção e aos crimes sexuais, assim como a diminuição do peso do estado, também foram propostas abordadas pelo candidato durante o comentário à atualidade, que pode ser ouvido na íntegra abaixo:

António Calheiros e Bibiana Garcez

1
10
23
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-09T10:23:51+00:00
Mon, 09 Dec 2019 10:23:51 +0000