19/08/19

Tradidanças 2019 # Dia 4

O que meXe connosco

Domingo, fomos à igreja. Para ver as nossas senhoras do Candal a desfiar as histórias à solta na Serra da Arada através das suas polifonias, património imaterial (ainda) não oficialmente declarado. Há sempre uma nota, um acorde, um ornamento, uma mudança de velocidade que nos surpreende e mexe connosco.

Chegámos à igreja após o regresso do caminho indiano para a dança de Bollywood. Apenas uma de vários caminhos disponíveis para percorrer no mundo do Tradidanças. Cada um escolhe aquele que mais mexe consigo.

O festival encaminha-se para o fim. Adivinham-se adeuses nos rostos e nos gestos. Não sem antes a Charanga trazer ao Palco Serra o seu mais recente “Charanga com X”, comemorando dez anos de existência. Não é fácil (nem preciso), perceber se o que mexe mais connosco é a electrónica, os arranjos de inspiração tradicional ou as letras que recolocam a nossa atenção no quotidiano individual e colectivo, deixado como que em suspenso durante quatro dias, e a que terá inevitavelmente de se regressar.

Para quem não conseguiu decidir, haverá sempre a edição de 2020 do Tradidanças. O que temos de mais seguro é que vamos poder mexer-nos, e que não será pouco nem demais.

Vítor Rodrigues

1
10
30
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-09T10:30:01+00:00
Mon, 09 Dec 2019 10:30:01 +0000