2/08/19

Petição pede classificação como património da obra de José Afonso

Se fosse vivo, José Afonso faria hoje, 2 de Agosto, 90 anos. Para celebrar a efeméride, a Associação José Afonso (AJA) entregou hoje uma petição com com mais de 11 mil assinaturas para apelar à salvaguarda e reedição da obra do cantautor português.

Em declarações à Lusa, a ministra da Cultura, Graça Fonseca explicou que o processo de qualificação da obra de Zeca tem sido desenvolvido há vários meses, juntamente com a família do cantautor, o Arquivo Nacional do Som e a Direção-Geral do Património Cultural. A ministra destacou aquela que considera a maior dificuldade do processo.

Graça Fonseca enumerou as etapas do trabalho técnico desenvolvido, dado que não existe nenhuma descrição de como classificar o património sonoro de José Afonso. A ministra realça que não foi por falta de empenho ou vontade que se não se iniciou o processo de qualificação.

Em representação da AJA, Francisco Fanhais disse aos jornalistas presentes que saiu agradado da reunião e satisfeito com o empenho demonstrado pelas autoridades.

Na audição esteve presente também o etnomusicólogo Pedro Félix, que lidera o processo de instalação do Arquivo Nacional do Som. Referiu que é importante saber do paradeiro dos conteúdos mas que vai ser fundamental criar instrumentos que permitam classificar o património com o maior rigor e, em particular, o som.

De recordar que José Afonso se notabilizou como intérprete da Canção de Coimbra enquanto estudante na UC, tendo posteriormente entrado em ruptura com o estilo, a partir de 1969, tornando-se um dos mais importantes símbolos culturais, na luta contra o Estado Novo, através da música de intervenção. Zeca Afonso faleceu em 1987, vítima de doença prolongada.

Bernardo Baptista (com sons Agência Lusa)

6
9
17
0
GMT
GMT
+0000
2019-08-24T09:17:51+00:00
Sat, 24 Aug 2019 09:17:51 +0000