2/08/19

José Manuel Silva: “Dança de cadeiras na Metro Mondego não resolve os problemas”

O Alvorada de hoje (2) contou com o comentário do vereador à Câmara Municipal de Coimbra (CMC) pelo Movimento Somos Coimbra, e ex-bastonário da Ordem dos Médicos (OM).

Fotografias de larvas de peixe, da autoria de investigadores do centro de ecologia funcional da FCUT estão em exibição no Mercado D. Pedro V até dia 30 de outubro. Trata-se de uma medida de dinamização do mercado e de acordo com a comunicação social local, os vendedores acolheram bem a exposição mas pedem mais dinâmica. Para José Manuel Silva a exposição é positiva mas considera que é um micro passo. O vereador da CMC defende que a arte e a cultura podem ser motores de desenvolvimento e dinamização dos espaços da cidade. Para o autarca é necessária uma estratégia integrada que habitue as pessoas a consumir eventos culturais e não ações isoladas.

O novo presidente do Conselho de Administração da Sociedade Metro Mondego é João Marrana, que deixa o lugar de administrador delegado dos Transportes Intermodais do Porto (TIP). João Marrana ocupa assim o lugar de João Rebelo, antigo vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, que era acompanhado nestas funções pelos administradores não executivos Carlos Ferreira e Leonel Pedro.

Na atual administração, o segundo vogal executivo é Eduardo Barata, professor auxiliar da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. O lugar não executivo vai ser ocupado por Paula Pêgo, vereadora do PSD na Câmara Municipal de Coimbra. José Manuel Silva afirmou que mudar cadeiras não basta. A Metro Mondego tem como accionistas 3 Câmaras Municipais que na opinião do vereador da CMC deixaram que a inércia se instalasse. O médico realçou que uma grande lacuna do projeto Metrobus é não servir o Polo 1 da Universidade de Coimbra.

A líder do Centro Democrático Social (CDS), Assunção Cristas, propõe no programa do partido às próximas eleições legislativas permitir que alunos que ficam fora das candidaturas ao ensino superior possam entrar nas universidades publicas pagando o “preço de mercado”. O vereador da Câmara Municipal de Coimbra discorda da proposta por entender que esta não escolhe os alunos por mérito e privilegia os que mais pagam para frequentar os cursos. O docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) alerta que esta prática pode colocar em causa a capacidade formativa das instituições.

Outro dos temas abordados no Alvorada de hoje foi a Saúde. José Manuel Silva considera que o atual governo efectuou um desinvestimento no setor público. Na opinião do vereador do SC o executivo socialista governou com apoio à esquerda mas com uma política de direita.

José Manuel Silva mostrou preocupação por não haver uma previsão do que se vai investir na candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura. Na opinião do vereador da CMC esta falta de orçamento limita o projeto e Coimbra perdeu todas as candidaturas a “capital de qualquer coisa” precisamente por investir pouco e concorrer com projetos pouco elaborados. O lider do movimento Somos Coimbra (SC) sublinhou que ser Capital europeia da Cultura é fulcral para o desenvolvimento de Coimbra.

Rui Rodrigues

1
21
04
0
GMT
GMT
+0000
2019-10-21T21:04:47+00:00
Mon, 21 Oct 2019 21:04:47 +0000