23/07/19

Luís Pedro Madeira: “Há uma crise grande de alunos para as humanidades”

O Alvorada de hoje (23) contou com comentário à atualidade por parte do músico e compositor, Luís Pedro Madeira.

A Universidade de Verão da Universidade de Coimbra recebeu 400 jovens, que espera cativar para que venham a estudar na instituição. Luís Pedro Madeira considera que “é estranho que a UC tenha de se publicitar”, mas vê de forma positiva a possibilidade dos estudantes do ensino secundário conhecerem melhor as opções que têm. Criticou a ideia que ainda existe de se pensar em “cursos bons e cursos maus, cursos que têm possibilidades de sucesso” e que esta semana serve para apresentar aos jovens a importância das humanidades.

O novo modelo da Semana Cultural da UC foi apresentado ontem no Instituto de Investigação Interdisciplinar da UC. A reorganização pressupõe uma redução da duração da iniciativa e a criação de dois novos ciclos: um clico de teatro e artes performativas, Mimesis, e um ciclo de música, Orphika, em alturas diferentes. Luís Pedro Madeira lamenta esta diminuição mas destaca a “curadoria aberta” da semana cultural, que permite que qualquer pessoa se possa candidatar a apresentar os seus projetos.

Mais 90 mil viagens foram realizadas nos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) no primeiro semestre deste ano. Este aumento coincide com a redução do preço dos passes mensais. Luís Pedro Madeira comenta que o preço não é um entrave à sua utilização, mas que há “imensos problemas”. Por um lado, há poucas carreiras o que leva a que os cidadãos tenham de esperar muito tempo para fazerem percursos centrais e por outro o desconforto. O músico criticou os motoristas que diz que não têm noção que as viagens são muito bruscas para os passageiros.

Nos últimos dias duplicou a área ardida deste o início do ano. Para Luís Pedro Madeira, o Estado continua a falhar porque não tomou “medidas eficazes”. O músico reflete sobre a impossibilidade de combater estes incêndios porque “a carga de combustível nas florestas é enorme” e sublinha que o Estado tem de ter uma intervenção para cuidar das florestas ao criar novas soluções.

O comentário pode ser ouvido na íntegra aqui.

Sara Santos Pinto

3
16
46
0
GMT
GMT
+0000
2019-10-23T16:46:14+00:00
Wed, 23 Oct 2019 16:46:14 +0000