25/06/19

Festival das Artes distingue Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner e traz Jazz à Colina de Camões

Miguel Júdice, Carina Gomes, Suzana Menezes e Cristina Castel-Branco

Sob o mote “Luz e Sombra”, de 19 a 28 de julho, durante dez dias, espetáculos de música, artes plásticas, artes de palco, conferências, a projeção de um filme ou gastronomia acontecem em lugares tão diferentes da cidade de Coimbra como a Quinta das Lágrimas, Convento São Francisco, o barco “Basófias” ou o Museu Nacional de Machado de Castro. O Festival das Artes apresentou-se hoje a Coimbra, “à Região e ao País” em conferência de imprensa.

O 11º Festival das Artes começa com a exposição “Os Lusíadas – Utopias de Luz e Sombra”, na Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (UC). A presidente da Fundação Inês de Castro, Cristina Castel-Branco, destaca a participação da UC. A exposição inaugura o festival a 19 de julho, pelas 18 horas.

Fotografia: gentileza Festival das Artes

A colaboração com o Festival Cistermúsica vai fazer-se logo no primeiro concerto a dia 19, com uma estreia mundial em Língua Portuguesa de “Poèmes d´Amour” de Paul Armand Silvestre acompanhados por música composta pelo compositor espanhol Isaac Albéniz. O diretor do Festival das Artes, Miguel Júdice, realça o concerto “Amor e Paraíso” pelo grupo orquestral “Ensemble Mediterrain” que vai interpretar Albéniz e a Sinfonia nº 4 em Sol Maior de Gustav Mahler. “Não pode haver melhor arranque para o festival”, disse.


Em 2019 celebram-se os cem anos do nascimento dos poetas Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner Andersen. Sena vai ser homenageado com uma viagem literária de comboio entre Coimbra e Figueira da Foz a 20 de julho. A homenagem à poetisa acontece com uma performance poética, a 23 de julho, no Anfiteatro da Colina de Camões, pela companhia “Dança em Diálogo”.

Fotografia: gentileza Festival das Artes

A novidade da 11ª edição passa pela já anunciada parceria com o Festival Quebra Jazz com o Anfiteatro Colina de Camões a receber “Reflexos Latinos” dos Alma Nuestra, no dia 25 de julho com Salvador Sobral na voz e Victor Zamora no piano.

Fotografia: gentileza do Festival das Artes

Não vai faltar o concerto de entrada livre na Biblioteca Joanina com um recital de piano “Contrastes Luminosos” por Giosuè de Vicenti. O concerto é sujeito a reserva para [email protected]


A parceria com o Fila -K manteve-se da edição anterior para a 11ª. “Cinema Paradiso” vai passar pelo ‘Drive-in’ da Oficina Municipal do Teatro a 20 de julho, ás 21h 30.


A 24 de Julho tem lugar o concerto “A Luz do Oriente” no Anfiteatro Colina de Camões pela Macao Youth Symphony Orchestra, composta por estudantes que vão do ensino primário ao universitário. Como solista a violinista Nancy Zhou. Pedro Neves foi o maestro convidado. Vai interpretar composições de Doming Lam, o concerto para violino Butterfly Lovers, de Chen Gang & He Zhanhao, a suite O Pássaro de Fogo, de Stravinsky e o Nocturno de António Fragoso.


Presente na conferência de imprensa, a diretora da Direção Regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes, salientou o espaço dado aos jovens artistas.


A Câmara Municipal de Coimbra aprovou na última segunda-feira um apoio de 70 mil euros à edição de 2019 do Festival das Artes. A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra destaca o apoio do Município de Coimbra desde a primeira edição. “É um festival da cidade, da região e cada vez mais do país”, afirma.


O programa educativo dedicado aos mais novos também marca presença este ano, bem como um ciclo de gastronomia. Cristina Zhou com a conferência “Luz do oriente e som do ocidente” e o docente da Faculdade de Letras da UC, José Carlos Seabra Pereira com “Viúva, grácil, na escuridão tranquila” iniciam o ciclo de conferências a 24 de julho, a partir das 22h 30, com entrada livre. No dia seguinte o Laboratório Chímico do Museu da Ciência da UC recebe a palestra “Cor em Arte” por Francisco Gil.


“O Brilho da Ópera” com a Orquestra Filarmónica Portuguesa conduzida pelo maestro Osvaldo Ferreira encerra o 11º Festival das Artes no Anfiteatro da Colina de Camões. A soprano Cristiana Oliveira e o tenor Carlos Cardoso  vão interpretar, entre outros, momentos da Tosca Madame Butterfly, de Puccini e a abertura de Tannhäuser, de Wagner.


Os preços dos bilhetes normais nos espetáculos do ciclo de música e das artes de palco rondam os 16 euros com exceção do concerto dos Alma Nuestra que tem 20 euros de bilhete normal. Existem condições especiais para Amigos do Festival das Artes, seniores, estudantes, desempregados, sócios do Sindicato de Professores da Região Centro e na compra de dez ou mais bilhetes.

Pode consultar a programação aqui.

Isabel Simões

3
15
37
0
GMT
GMT
+0000
2019-10-23T15:37:47+00:00
Wed, 23 Oct 2019 15:37:47 +0000