21/06/19

UC recebe debate sobre o efeito das alterações climáticas na vida da Antártida

José Xavier (créditos: Stacey Adlard)

Durante três dias, 27 cientistas cientistas polares de 12 países vão reunir-se na Universidade de Coimbra (UC) para identificar o progresso científico na região Antártica em relação às alterações climáticas nos últimos dez anos.

O investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e um dos coordenadores do Comité Científico para a Investigação Antártica, José Xavier, realça que a iniciativa reúne alguns dos melhores cientistas do mundo com o objetivo claro de tentar perceber qual o impacto do degelo da Antártida e como as espécies animais vão reagir à mudança.

Para além da discussão em torno das mudanças no oceano Antártico, os cientistas querem compreender melhor a capacidade de adaptação e resiliência das espécies da Antártida às alterações climáticas e qual o impacto da poluição mundial no continente.

José Xavier é o único português a fazer parte do Comité Científico para a Investigação Antártica. Como docente do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) considera importante que o assunto das alterações climáticas faça parte do ensino e da educação dos mais jovens. No entanto, considera que a discussão nos meios de comunicação e nas instituições políticas tem sido pouco consistente e esclarecedora. O investigador considera que os maiores decisores políticos mundiais não têm feito um trabalho verdadeiro e eficaz na área das alterações climáticas e da poluição, com vários acordos, como o caso do Acordo de Paris, a falharem nos objetivos.

Como membro de uma comunidade científica, José Xavier considera essencial que a informação sobre os estudos climáticos sejam difundidos de forma séria entre a comunidade mundial para que as intituições políticas mundiais, grandes grupos económicos e cientistas se sintam pressionados e abram uma discussão séria sobre o assunto.

O degelo da Antártida é já uma preocupação mundial e com um grande impacto na vida das espécies animais, bem como da população humana. São vários os países vítimas das alterações climáticas, como é o caso de Portugal. José Xavier considera que, na atualidade, o mundo está no limite para que as alterações climáticas se tornem irreversíveis e com isso haja um aumento superior ao esperado da temperatura mundial e do nível médio das águas.

Do encontro, que surge no âmbito do programa internacional SCAR AnT-ERA, vai resultar um artigo de revisão dos principais estudos climáticos realizados nos últimos anos, com a divulgação de dados inéditos. É também objetivo do Comité Científico para a Investigação Antártica a produção de um documento com um conjunto de ações sobre a investigação e a criação de decisões políticas eficientes para uma sociedade global sustentável. A ideia é difundir a informação reunida junto dos decisores políticos, do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), mas também junto dos cientistas, gerações mais jovens e o público em geral.

Os cientistas vão estar reunidos em Coimbra durante os dias 24 e 27 de junho. A sessão de abertura está marcada para as 16 horas do dia 24 no Museu da Ciência.

Luís Miguel Martins

3
21
11
0
GMT
GMT
+0000
2019-07-17T21:11:40+00:00
Wed, 17 Jul 2019 21:11:40 +0000