20/06/19

Câmara quer reativar Ecovia e levá-la de Coimbra-B até à Praça Heróis do Ultramar

Sítio da Internet da CMC

Os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) apresentaram, ontem, dez novos autocarros 100 por cento elétricos. Ao longo dos últimos anos os SMTUC têm vindo a renovar a frota, com um investimento de cerca de nove milhões de euros em 40 autocarros, informou o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, na cerimónia que teve lugar no Parque Verde da cidade.

A Ecovia que deixou de funcionar em 2005 é para reativar e levar até à Praça Heróis do Ultramar, divulgou Manuel Machado.

À cerimónia compareceu o ministro do Ambiente e Transição Energética, João Matos Fernandes. O presidente da CMC aproveitou a presença do ministro para chamar a atenção para o troço do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), a Via Central, que vai ligar a Avenida Fernão de Magalhães à Rua da Sofia.

Segundo Manuel Machado “o projeto continua enguiçado” e urge que a Metro Mondego promova a demolição de dois prédios. Após o ato as obras no canal de 32 metros podem ser terminadas e a linha do Hospital do Metro Bus pode começar a concretizar-se. À margem da cerimónia o presidente da CMC confirmou à comunicação social as razões do apelo.

Manuel Machado quer retirar veículos do centro da cidade e promover o bem estar de quem chega ou vive no concelho. Na opinião do edil a missão passa por incentivar o transporte público. Para que as pessoas deixem os automóveis nos estacionamentos da entrada da cidade torna-se necessário a reativação da Ecovia o que vai implicar a compra de mais veículos pequenos e elétricos, revelou.

Dois dos oito veículos maiores ontem apresentados são destinados à Ecovia criada por Manuel Machado nos anos 90 do século passado e que deixou de funcionar no início do século. Em breve vai ser anunciada a sua reactivação prometeu o autarca, sem no entanto adiantar uma data, uma vez que a produção dos autocarros leva tempo.


Os dois miniautocarros já adquiridos estão preparados para poderem percorrer a Linha do Centro Histórico, têm 6m de comprimento, e a lotação total de 19 pessoas. Com mais estes veículos vai ser possível servir os utentes que quiserem utilizar o estacionamento do Parque Verde do Mondego como “park and ride” e deslocarem-se para outros pontos da cidade, explicou Manuel Machado na cerimónia de apresentação.

Com os autocarros maiores de 12m de comprimento, com uma lotação total superior a 80 pessoas vai ser possível relançar a Ecovia entre o estacionamento de Coimbra-B, Casa do Sal e os pontos com “mais fluxo da cidade”, anunciou o presidente da CMC. Adiantou também o avanço da Ecovia até à Praça Heróis do Ultramar.

Quando o SMM estiver concluído vai ser possível o alargamento da rede dos SMTUC a zonas mais distantes do centro da cidade, garantiu o autarca. “Logo que entre em funcionamento, as linhas serão reajustadas”, disse. Evocou ainda os muitos estudos já realizados e os 118 milhões de euros já despendidos pela Metro Mondego.

Segundo o sítio da Intenet da Metro Mondego, da composição acionista da Metro Mondego, para além do Estado Central com 53 por cento, fazem parte as Câmaras Municipais da Lousã, Miranda do Corvo e Coimbra bem como duas empresas estatais. A Assembleia Geral da empresa não reúne desde 2014.

Isabel Simões

3
21
14
0
GMT
GMT
+0000
2019-07-17T21:14:58+00:00
Wed, 17 Jul 2019 21:14:58 +0000