12/06/19

Elísio Estanque: “[Sobre a operação Lava-Jato] isto é uma prova de fogo [para o mandato de Bolsonaro]”

O Alvorada de hoje (12) contou com o comentário à atualidade de Elísio Estanque, professor na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC).

O Planeamento Estratégico da Universidade de Coimbra (UC) para 2019-2023, está em andamento   com o mote “O Futuro da UC nas Nossas Mãos”. O objetivo é recolher as propostas da comunidade académica, para aplicar no desenvolvimento da UC nos próximos quatro anos.
Entre as atividades propostas estão inseridas sessões de reflexão direcionadas a investigadores, pessoal técnico e unidades de investigação. O encontro com os estudantes está marcado para dia 19 de junho. Para o comentador, tudo o que implique um maior envolvimento da comunidade estudantil na definição de planos estratégicos da Universidade de Coimbra, é benéfico.

A Academia Sino-lusófona foi inaugurada hoje. Desta forma, é percetível a intenção da Universidade de Coimbra chegar à comunidade estrangeira que frequenta a academia e que representa 20% dos estudantes. Elísio Estanque, considera importante que a presença de estudantes estrangeiros continue a aumentar e que a universidade providencie boas condições nos mais variados domínios, sejam eles a estadia ou a aprendizagem.

O Brasil continua em suspenso com os novos capítulos da operação “Lava-Jato”. Na opinião do professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC), o futuro do país é incerto. Considera, ainda, que há fissuras profundas na sociedade brasileira e que sobra pouco espaço para a democracia resultando, sobretudo, num incremento da violência e do autoritarismo.

No dia 10 de junho, o Presidente da República fez um discurso, em Portalegre, no qual afirmou que Portugal e os portugueses são mais do que fragilidades e erros e, acrescentou, que os erros cometidos no passado, quer seja em termos de corrupção ou Justiça, não poderão ser apagados. O comentador de hoje mostrou estar de acordo com os apelos do Presidente da República e afirmou que a sociedade portuguesa ainda é muito “influenciada por tutelas e pequenos poderes, dependências, afinidades pessoais” e que, neste sentido, se deve apelar à cidadania.

No programa Alvorada ainda foram discutidos temas como a Lei de Bases da Saúde em relação às parcerias público-privadas; a morte de Ruben de Carvalho, representante do PCP; o Brexit e quem irá suceder a Theresa May; e uma medida implementada numa empresa do porto, que visa privilegiar os funcionários que têm um maior agregado familiar.

Pode ouvir o comentário na íntegra aqui:

Bianca Rocha e Tiago Oliva

5
6
18
0
GMT
GMT
+0000
2019-12-06T06:18:41+00:00
Fri, 06 Dec 2019 06:18:41 +0000