10/06/19

Madalena Abreu: “Os critérios de adjudicação da CMC são prejudiciais para toda a gente”

O Alvorada de hoje (10) contou com o comentário à atualidade da professora do ISCAC e vereadora da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) pela coligação Mais Coimbra, Madalena Abreu.

É hoje o último dia Feira Cultural de Coimbra.O evento que decorre desde 31 de maio tinha como objetivo atrair novos públicos O evento contou na edição de 2019 com 200 expositores. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, a Feira Cultural de Coimbra representa um investimento de 250 mil euros (na primeira edição foi de 94 mil euros). Para a vereadora há muito a fazer de modo a desenvolver a Feira Cultural. Madalena Abreu frisou a questão estética como um ponto a melhorar.

O Governo recebeu uma proposta para que a nova maternidade de Coimbra se localize no perímetro dos Hospitais da Universidade. A nova maternidade de Coimbra, que resulta da fusão das duas maternidades existentes no concelho, representa um investimento de 16 milhões de euros, segundo estimativas avançadas em abril de 2018. Madalena Abreu frisou a urgência de tomar uma decisão.

As obras de dois centros de saúde em Coimbra não avançaram por falta de empresa interessadas nos valores dos concursos. Madalena Abreu lamentou o critério de adjudicação utilizado pela CMC e recordou as várias obras que se encontram paradas devido à insolvência dos vencedores dos concursos. Para a vereadora do PSD os critérios de adjudicação são prejudiciais para todas as partes.

Um dos temas do momento é a Comissão Parlamentar da Caixa Geral de Depósitos (CGD). O antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Victor Constâncio tem sido criticado pela atuação que teve à frente do Banco de Portugal e por dizer em comissão parlamentar que não tinha memória de acordo entre o BdP e a Fundação Berardo, em 2007, sobre a compra de ações do BCP com 350 milhões de euros emprestados pela Caixa Geral de Depósitos. Madalena Abreu considera positivo a investigação e a revelação de alguns segredos. A vereadora social-democrata recordou ainda os sacrifícios de todos os portugueses nos últimos anos.

No Alvorada ficámos também com a rubrica Foyer, da autoria de Rita Ferreira, que deu a conhecer a programação do Teatro Académico Gil Vicente (TAGV). O comentário pode ser ouvido na íntegra aqui.

Tomás Cunha

4
12
57
0
GMT
GMT
+0000
2019-06-27T12:57:29+00:00
Thu, 27 Jun 2019 12:57:29 +0000