7/06/19

Helena Albuquerque: “Os SASUC deviam ser um pelouro prioritário”

O Alvorada de hoje (7) contou com o cometário à atualidade da Presidente da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) e Professora de Matemática na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), Helena Albuquerque.

O Complexo da Sala B das cantinas (“Grelhados”) está aberto, desde o início do mês, como sala de estudo a funcionar 24 horas por dia. A segurança fica ao encargo da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC). Informação avançada por Daniel Azenha que, em entrevista à RUC, congratulou-se pelo feito. Para a comentadora, esta é uma medida que peca por tardia.

Também o Reitor da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão, na sessão de encerramento do ano letivo 2018/2019 da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), se pronunciou sobre a abertura de mais salas de estudo nos Pólos II e III, embora ainda não tenha confirmado datas para a sua concretização.

O Conselho de Repúblicas emitiu um comunicado às redações em que afirmou que a relação estabelecida entre Repúblicas e Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra (SASUC) é uma “relação precária”. Helena Albuquerque considera que o comunicado é exemplo de uma falha na gestão de prioridades dos SASUC. Acredita ainda que se deve procurar gerir (bem) o dinheiro existente antes de procurar mais financiamento.

Foi aprovado o estatuto de Cuidador Informal. Para a presidente da APPACDM, Helena Albuquerque, o estatuto é uma vitória, mas não é suficiente, e destaca que o documento legal apenas trouxe a oportunidade de os cuidadores terem uma carreira contributiva e isenção de impostos.

A APPACDM comemora 50 anos de existência e, no sentido de assinalar a data, Helena Albuquerque adiantou a programação especial que celebra a associação, com uma iniciativa mensal na qual são abordados temas que estão diretamente ligados ao trabalho da instituição.

O próximo evento acontece no primeiro de Julho onde vai decorrer uma caminhada que começa pelas 10:30 horas, com uma concentração no Jardim Botânico. A caminhada vai terminar pelas 16:30 horas na Segurança Social com uma atuação musical para animar os caminhantes. A atividade é aberta a todos aqueles que queiram participar.

No programa Alvorada ainda foram discutidos outros temas como os fracos resultados obtidos na prova de aferição de matemática do segundo ciclo; as falhas no serviço na maternidade Daniel de Matos, em Coimbra; e o acordo sobre o SIRESP do qual se espera resolução para a semana.

Pode ouvir o comentário na íntegra aqui:

Bianca Rocha

4
12
10
0
GMT
GMT
+0000
2019-06-27T12:10:05+00:00
Thu, 27 Jun 2019 12:10:05 +0000