31/05/19

Alta amplitude térmica amena a onda de calor em Coimbra

O portal norte-americano AccuWeather e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicam que Portugal será um dos países mais afetados pelo calor nos próximos dias. Neste contexto, conversamos com Judite Maia, médica de saúde pública da ARS Centro (Administração Regional de Saúde do Centro) e coordenadora do Plano de Contingência das Ondas de Calor, acerca dos cuidados necessários para a saúde nas situações de altas temperaturas.

Apesar dos 35º C previstos para o fim de semana, Judite Maia considera normal a temperatura deste nível para o início do mês de junho. A médica salienta a importância da alta amplitude térmica devido à baixa temperatura no período da noite que reduz o aquecimento acumulado ao longo do dia.

Entre os efeitos causados pelo calor excessivo nas pessoas estão a desidratação, agravamento de doenças crónicas, cãibras, inchaços e golpes de calor. A coordenadora do Plano de Contingência das Ondas de Calor, Judite Maia, revela os serviços disponíveis ao atendimento dos cidadãos, que conta com a linha Saúde 24 do Serviço Nacional de Saúde como programa de atendimento por telefone.

Para evitar os efeitos das altas temperaturas, a médica cita medidas de precaução cabíveis. Judite Maia realça a importância de manter-se hidratado e ficar atento aos cidadãos em situação de risco, nomeadamente as crianças e os idosos.

A previsão para a região centro, no entanto, não preocupa a ARS Centro. Com temperatura máxima prevista de 35º Celsius e mínima prevista de 14º, escapar do sol e beber água são as principais indicações para aguentar o calor do fim de semana.

Tom Barth

7
18
50
0
GMT
GMT
+0000
2019-09-22T18:50:44+00:00
Sun, 22 Sep 2019 18:50:44 +0000