16/05/19

Jorge Gouveia Monteiro: “É impossível ir para o estatuto da Capital Europeia da Cultura com a Baixa a cair”

Alvorada, de hoje, contou com o comentário à atualidade por parte do atual coordenador do Movimento Cidadãos por Coimbra (CpC) e antigo vereador da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Jorge Gouveia Monteiro.

O terceiro dia de campanha eleitoral para as eleições europeias ficou marcado, ontem, por um acidente de viação sofrido pelo líder do Aliança, Pedro Santana Lopes, e o cabeça de lista, Paulo Sande, na autoestrada A1, na zona de Leiria. Os dois ficaram feridos sem gravidade e foram encaminhados para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC). À saída do hospital, Paulo Sande disse aos jornalistas, pelas 22:15, que ele e Santana Lopes “despistaram tudo o possível e, aparentemente, está tudo bem”, notando que “no final disto tudo, não passou de um grande susto”.

No que diz respeito aos acontecimentos relacionados propriamente com as atividades de promoção de listas concorrentes, ao longo da manhã, de ontem, a campanha continuou com uma troca de acusações entre PS, PSD e CDS-PP, com o social-democrata Paulo Rangel e o centrista Nuno Melo a responderem às críticas do secretário-geral socialista, António Costa, quem na terça-feira tinha acusado os primeiros de fazer “campanha suja”. Já Paulo Rangel, que arrancou o dia de ontem na Fundação Champalimaud, em Lisboa, optou por dar “um conselho” a Costa, pedindo “serenidade e elevação” ao chefe do executivo socialista.

As atividades relacionadas com a promoção das listas candidatas ao Parlamento Europeu continuam hoje, no quarto dia da campanha. Em Coimbra, vai ser a vez dos líderes do Bloco de Esquerda, incluindo a cabeça da lista, Marisa Matias, de se apresentar ao eleitorado.

No comentário à campanha eleitoral das listas portuguesas, Jorge Gouveia Monteiro focou-se na questão de migrações, e apontou para o papel central dos modelos de funcionamento dos estados europeus para os destinos do planeta.

A Infraestruturas de Portugal (IP) apresentou, ontem, publicamente e pela primeira vez o traçado definitivo da Linha do Hospital do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), popularmente conhecido como ‘metro bus’. As viaturas deverão circular num canal dedicado, entre a zona do Bota-Abaixo e o Mercado D. Pedro V. As principais novidades que se revelaram na apresentação da rota definitiva são a via dedicada no interior dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) e a extensão da linha até ao hospital pediátrico.

No decorrer da sessão, o presidente da IP, António Laranjo insistiu ainda que a antiga via ferroviária, entre as estações de Coimbra B e Serpins, “é o melhor traçado que alguma vez poderia existir”, e que o troço de montanha do futuro ‘metro bus’ favorece a opção por este sistema de transportes públicos.

Na perspetiva do ex-vereador da CMC, Jorge Gouveia Monteiro, a inclusão da passagem pelos Hospitais da Universidade de Coimbra no plano de o Sistema de Mobilidade do Mondego torna questionável a pertinência de construção do silo-auto com 1200 lugares no polo HUC.

A forte concentração de Alojamento Local (AL) no centro histórico do Porto, confirmada por um estudo realizado pela Universidade Católica, levou Câmara Municipal do Porto a refletir sobre as decisões políticas a tomar para desenvolver um método capaz de acompanhar “uma realidade mutante”. Perante o facto de entre os 6.198 registos de AL que existiam na cidade do Porto até 18 de julho de 2018 mais de metade (51,3%) estarem em nome de empresas ou sociedades, e sociedades unipessoais, a Autarquia portuense decidiu de avançar para a criação do Regulamento Municipal do Alojamento Local. Um dos pontos do documento vai ser a criação da figura do ‘moderador’ para diminuir potenciais conflitos entre habitantes e turistas.

Com vista à potencial candidatura de Coimbra à Capital Europeia da Cultura em 2027 (CCEC2027), Jorge Gouveia Monteiro refletiu sobre a situação com os imóveis nas zonas históricas centrais da cidade e concluiu que a Câmara Municipal de Coimbra (CMC) deveria tomar medias antecipadas em relação ao imobiliário nessas áreas. Para o ex-vereador da CMC não faz sentido expulsar habitantes permanentes das zonas turísticas.

O comentário à atualidade da parte de Jorge Gouveia Monteiro no programa de hoje incluiu ainda uma breve ponderação sobre o aumento dos casos de violência nos seniores e sobre as mudanças nos padrões de família tradicional.

Ian Ezerin

6
22
17
0
GMT
GMT
+0000
2019-08-24T22:17:53+00:00
Sat, 24 Aug 2019 22:17:53 +0000