14/05/19

OMT acolhe Mostra de Teatro de Escolas de Coimbra e da região

José Vieira Lourenço, Ilda Rodrigues, Sónia Antunes, João Paulo Janicas e Margarida Sousa

A celebrar 15 anos a 14ª Mostra de Teatro Escolar de Coimbra tem como novidade a participação pela primeira vez da Associação Cavalo Azul. De 13 a 17 de maio vão passar pela Oficina Municipal do Teatro (OMT) grupos de teatro de escolas da Lousã, Alvaiázere, Santa Comba Dão, Tomar, Soure, Marinha Grande, Tondela, Ílhavo e Coimbra. As Câmaras Municipais ajudam no transporte.

“Em Português Suave”, assim se chama o trabalho do Grupo “Rebuliço” da Associação Cavalo Azul que se apresenta hoje, terça-feira, pelas 14h 30, na Oficina Municipal do Teatro. O ano passado a Associação Cavalo Azul visitou a mostra e a felicidade de assistir a uma peça de teatro provocou nos utentes a vontade de participar. José Vieira Lourenço, professor aposentado, voluntário na instituição e um dos organizadores, deu uma ajuda.

Para Ilda Rodrigues, da organização e professora da Escola Secundária Avelar Brotero (ESAB), o teatro é uma atividade “das mais rentáveis a nível pessoal e intelectual”. Acrescenta que são muitas as escolas que praticam as artes de palco, participam ou não em mostras e persistem porque ao trabalhar texto, corpo e voz, se torna possível aos alunos viverem realidades diferentes.

A professora da ESAB contou na conferência de imprensa como surgiu a vontade de mostrar o que as escolas fazem e “que não conta para os rankings”. Entre as muitas atividades está o Teatro, disse.

A procura das escolas que pretendem participar na mostra já excede a disponibilidade que existe de quinze espetáculos. Cada escola participa com o seu grupo de teatro mas também traz espetadores para assistirem às peças de outras escolas. A mostra caracteriza-se pela diversidade de temas que correspondem a diferentes projetos, explica João Paulo Janicas da Associação de Escolas Nova Ágora (CFAE Nova Ágora).

A XIV Mostra de Teatro Escolar de Coimbra realiza também um concurso de cartazes, este ano participaram mais de duas dezenas de candidaturas de alunos de três escolas: José Falcão, Quinta das Flores e Avelar Brotero. Foram atribuídos três prémios e duas menções honrosas. A Escola Avelar Brotero venceu o primeiro prémio.

As quatro primeiras mostras aconteceram ainda no Museu dos Transportes as seguintes vieram a acontecer na Oficina Municipal do Teatro. Na edição de 2019 continuam a participar os colégios Rainha Santa Isabel, São Teotónio e Bissaya Barreto, a Associação Cavalo Azul e onze escolas públicas, de Coimbra, da região e de “mais longe”. Margarida Sousa, da direção da OMT, realça o aspeto de “encontro” que a arte de palco proporciona em tempos em que graça o individualismo.

Formação de públicos é “importante” e faz-se com persistência, realça Sónia Antunes da Escola Básica e Secundária Quinta das Flores. Há alguns anos que a mostra conta com um estúdio de ópera, uma colaboração do Conservatório de Música de Coimbra. “Pescalibur, O Espadarte do Rei Artur” sob a cena amanhã, dia 15, pelas 14h30. Este ano a Associação de Escolas Infante D. Pedro de Penela só assiste porque quer fundar um grupo de teatro, revela João Paulo Janicas.

Nos últimos quinze anos a mostra tem vivido da carolice dos organizadores, do apoio de alguns dos outros professores das escolas mas tem esbarrado com dificuldades e incompreensões de alguns pais e colegas que não entendem os benefícios de uma atividade que não contribui de forma direta para as notas finais, lamenta Ilda Rodrigues.

No certame é distribuída uma estatueta em madeira bordada a fogo a todas as escolas participantes e às instituições que contribuem para a realização. A peça que já foi de barro com conceção de Lurdes Pires da Escola D. Duarte tem logotipo delineado por Inês Moura Lourenço.

As sessões diárias estão marcadas para as 09h 30, 11 horas e 14h 30. A mostra encerra com a peça ”Lobo à Porta” do grupo “Na Xina Lua”, do Grupo de teatro da Escola Secundária de Tondela, às 21h 30, onde vão assistir todas as escolas participantes.

A organização pertence à Escola Secundária Avelar Brotero (ESAB), Centro de Formação de Associação de Escolas Nova Ágora (CFAE Nova Ágora), Escola Básica e Secundária Quinta das Flores (EBSQF), Centro de Formação da Associação de Escolas Minerva (CFAE Minerva) e ao professor aposentado José Vieira Lourenço.

Segundo a organização, nas treze mostras já realizadas passaram por Coimbra perto de 20 mil espetadores de teatro.

Texto e fotografia:Isabel Simões

7
11
20
0
GMT
GMT
+0000
2019-07-21T11:20:27+00:00
Sun, 21 Jul 2019 11:20:27 +0000