12/05/19

QF’19: CCQF 19 faz balanço positivo e critica Dj Kura

A edição de 2019 da Queima das Fitas, após oito Noites de Parque, chegou ao fim. Conforme os últimos números divulgados, ainda no início da noite de ontem, pelo menos 80 mil ingressos foram vendidos. Apesar da redução de recursos disponíveis, atraso para divulgação do cartaz das bandas e cancelamento da apresentação de um dos principais nomes previstos, o DJ Kura, a organização do evento faz uma avaliação positiva do festival. No entanto, o secretário-geral adjunto da Queima das Fitas, João André Oliveira, ressalta que muito ainda precisa ser apurado.

A primeira noite, do dia três de maio, foi a que registrou maior número de pessoas. João André entende que a programação, com apresentações dos rappers Profjam e Mike El Nite, teve boa recepção do público alvo esperado, mais jovem.

Em 2019, uma das novas atrações seria o Sunset na última noite de Queima das Fitas, a partir das 17 horas de sexta-feira. O DJ Kura, um dos maiores nomes da cena eletrónica de Portugal, era esperado, mas acabou por cancelar sua apresentação na quinta-feira. O DJ e sua agência publicaram nas redes sociais manifestações quanto a um problema na organização. Conforme o músico, o concerto era suposto acontecer no palco principal, mas teria sido transferido para um espaço secundário, modificação que seria motivo para o cancelamento. O Secretário Geral da Queima, Leandro Marques, defende que tudo o que foi solicitado pela organização do artista foi garantido pelo evento.

O Sunset aconteceu de toda forma, mas com outro alinhamento. Conforme o secretariado do evento, o caso será avaliado com a comissão jurídica. Leandro Marques destaca ainda que o ocorrido não determinou o êxito da Queima das Fitas como um todo.

Na sexta-feira, ocorreu também o concerto festa Revenge of the 90’, uma proposta inovadora na opinião do secretário-geral adjunto, João André Oliveira.

A edição de 2019 da Queima das Fitas foi a primeira com programação do
Palco RUC em todas as noites de parque. A modificação na opinião da Comissão teve uma avaliação positiva. Conforme o secretário-geral adjunto, trata-se de uma forma de abranger públicos mais amplos, além de valorizar a curadoria musical da rádio da casa.

A organização do evento, para a próxima edição, salientou já no final da
conferência que os contratos com artistas e a divulgação do cartaz das bandas
devem ser feitos com mais antecedência. Além disso, a comissão entende ser
necessário estreitar ainda mais as relações com grupos da própria Associação
Académica de Coimbra, como ocorreu neste ano com o Grupo de Fado.

Bebiana Garcez

5
18
52
0
GMT
GMT
+0000
2019-05-24T18:52:41+00:00
Fri, 24 May 2019 18:52:41 +0000