5/05/19

QF’19: Para PUTZGRILLA “Queima de Coimbra tem outra mística”

Foto Rui Rodrigues

Os PUTZGRILLA foram os últimos da segunda noite do Palco Fórum Coimbra. Antes da atuação, em conferência de imprensa, afirmaram ser grande a expectativa para se estrearem num concerto da Queima das Fitas de Coimbra. Segundo os membros do grupo, a Queima de Coimbra é diferente porque os estudantes a vivem com outra mística. Ser a última banda a atuar é também um desafio de agarrar o público para que fique até ao fim a vibrar e a saltar. Para isso a banda fará a sua versão “Premium” de atuação que inclui bailarinos em palco e interação com o público. Estarão em palco dois convidados-surpresa, Kaleo e Vado.

A banda assume que o seu som sofre influências africanas e brasileiras. Um dos membros, Rui Martins realçou o que torna os PUTZGRILLA diferentes.

Em resposta a uma questão da Rádio Universidade de Coimbra (RUC), Rizzo revelou a origem do nome do grupo, PUTZGRILLA.

A pedido da RUC, Miguel Lamelas dos PUTZGRILLA comentou a ausência de público na actuação do primeiro grupo da noite, Rosa Luxemburgo. Disse este elemento da banda que esta situação faz parte do crescimento dos artistas.

No final da conferência, o único elemento feminino do grupo, Carla Maximum,  apontou como próximo objetivo dos PUTZGRILLA  a internacionalização da banda de música eletrónica.

Ana Laura e Rui Rodrigues

5
19
08
0
GMT
GMT
+0000
2019-05-24T19:08:49+00:00
Fri, 24 May 2019 19:08:49 +0000