30/04/19

Ângela Dias da Silva: “A democracia não se pode deixar envolver por xenofobia”

O Alvorada desta terça-feira (30) contou com o comentário à atualidade de Ângela Dias da Silva, vice-presidente da Associação de Aposentados, Pensionistas e Reformados (APRe!).

Após polémica nas redes sociais e pressão dos estudantes, a Universidade de Lisboa abriu um processo disciplinar devido aos dois cartazes com mensagens de cariz racista, expostos ontem no corredor da Faculdade de Direito. No local, era possível ver uma caixa de madeira com pedras, com um cartaz que dizia: “Loja de Souvenirs” e outro com a frase: “Grátis se for para atirar para um zuca [brasileiro] que passou à frente no mestrado”. As mensagens xenófobas colocadas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa indignaram a comunidade de estudantes brasileiros. Para a convidada do Alvorada de hoje, Ângela Dias da Silva, esta é uma forma menor de protestar.

Passando para a temática da saúde, a comentadora tratou da recente carta aberta dirigida a António Costa, escrita por dezenas de personalidades com objetivo de acabar de vez com as parcerias público-privadas na área. No texto, é pedido ao secretário geral do Partido do Socialista (PS) que aproveite a discussão da Lei de Bases da Saúde para estabelecer fronteiras entre o público e o privado. Manuel Alegre, que foi um dos apresentadores do livro de António Arnaurt e João Semedo “Salvar o SNS”, também compartilha desta opinião, afirmando que não faz sentido o Estado subsidiar privados que têm ganhos na saúde. É no mesmo sentido que pensa Ângela Dias da Silva, que considera que cuidados com a saúde não podem ser vistos à luz do lucro.

Com a aproximação das eleições europeias, que acontecem em Portugal no próximo dia 26 de maio, a APRe! lançou um manifesto que salienta pontos chave que relaciona os idosos com as políticas internacionais. São eles demografia, participação social e trabalho; pensões e património; saúde e preocupações sociais e habitações e mobilidade. A vice-presidente da Associação comenta o fortalecimento da extrema-direita em países como Itália e Hungria, e considera que essa questão deve ser vista com atenção pela Europa como um todo.

Ainda no âmbito das eleições de eurodeputados, o cabeça de lista do PSD, Paulo Rangel, rebateu as recentes afirmações de seu adversário candidato à reeleição pelo CDS, Nuno Melo, de que o partido espanhol Vox, de extrema direita nacionalista, poderia entrar para o Partido Popular Europeu. O político do CDS recebeu críticas de que estaria a normalizar a posição da extrema direita, especialmente quando o Vox já conseguiu eleger 24 deputados em Espanha. Para Ângela Dias da Silva, no entanto, não se trata de uma normalização, e sim de uma posição partidária de Nuno Melo.

Foram ainda comentados, no programa de hoje, a educação em Portugal, a arborização em Coimbra, o envelhecimento da população, a greve dos combustíveis e política internacional, entre outros temas. A edição de terça-feira do Alvorada contou também com a rubrica Europa, da autoria de Camila Vidal. O programa pode ser ouvido na íntegra aqui:

Bibiana Garcez e Catarina Simões

5
19
56
0
GMT
GMT
+0000
2019-05-24T19:56:07+00:00
Fri, 24 May 2019 19:56:07 +0000