11/04/19

Conhecidos os 35 membros da Assembleia de Revisão de Estatutos Extraordinária da AAC

A Assembleia de Revisão Extraordinária dos Estatutos da Associação Académica de Coimbra (AREE/AAC) está constituída na totalidade. Depois de eleitos os 22 associados efetivos da AAC, os restantes 13 membros indigitados pela Mesa da Assembleia Magna, Direção-Geral, Conselho Fiscal e Conselhos Desportivo, Cultural e Internúcleos já se conhecem.

O representante da Lista C e primeiro eleito de entre os 22 estudantes da Universidade de Coimbra, João Assunção, conversou hoje (11) com a RUC sobre os próximos passos a tomar. A lista C conseguiu 92% dos votos, tendo elegido 20 representantes. A lista I elegeu dois estudantes. A lista que saiu “vencedora” no passado dia 9 de abril está alinhada com a Direção-Geral da AAC e conta com diversos membros que fazem parte simultaneamente da associação de estudantes.

Nas palavras de João Assunção, na visão da nova Assembleia há uma necessidade de “clarificar” a estrutura organizadora da Queima das Fitas, com o propósito de existir uma maior transparência e responsabilização.

A permanência e envolvimento do Conselho de Veteranos na organização da Queima das Fitas nos moldes atuais é outra das questões que pode sofrer mudanças. João Assunção sublinha a importância da “tradição histórica” e justifica a participação deste órgão na festa.

O Conselho Geral da Comissão Organizadora da Queima das Fitas é um dos órgãos que deve sofrer mudanças na sua constituição. O estudante explica que as responsabilidades administrativas e financeiras são da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC).

Como clarifica João Assunção, a Queima das Fitas tem três componentes – cultural, desportiva e de tradição – que podem ser associadas, deste modo, aos Conselhos Cultural, Desportivo e de Veteranos. A ideia da lista eleita é deixar a parte administrativa e financeira a cargo da Direção-Geral da AAC e não abolir nenhuma das estruturas que trabalham atualmente na organização da Queima das Fitas.

Outro dos pontos propostos é a redução do quórum necessário para deliberações em Assembleia Magna. O vice-presidente da DG/AAC assume que a mudança pode não trazer apenas pontos positivos.

O terceiro ponto que justifica a criação de uma assembleia extraordinária é a alteração do método de voto da Comissão Disciplinar para uma votação direta, ou seja, pelos associados efetivos da Associação Académica de Coimbra, os estudantes da Universidade de Coimbra.

João Assunção acredita que os 22 elementos eleitos têm a mesma visão acerca do que é preciso mudar através da AREE/AAC.

A Revisão dos Estatutos deve terminar em julho deste ano, cumprindo-se o objetivo proposto pelas listas candidatas aos lugares de associados efetivos da AREE/AAC de as alterações aprovadas poderem ter efeito ainda durante o atual mandato da DG/AAC.

Pode consultar aqui – http://www.academica.pt/eleicoes/aree/ – os nomes de todos os 35 membros da AREE/AAC no separador “Resultados”. Pode ainda rever aqui os pontos a discutir nesta AREE/AAC:http://www.academica.pt/wp-content/uploads/2019/03/Comunicado-Revisa%CC%83o-de-Estatutos.pdf

Inês Morais e Camila Vidal

3
8
28
0
GMT
GMT
+0000
2019-04-24T08:28:36+00:00
Wed, 24 Apr 2019 08:28:36 +0000