7/04/19

Reinvidicações da ABIC permanecem no novo mandato da FCT

Fotografia: site da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica

Com a nova diretoria da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), a vice-presidente da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC), Bárbara Carvalho, expressou as preocupações dos investigadores.

A tomada de posse da FCT por Helena Pereira mostrou-se, para Bárbara Carvalho, “uma direção de continuidade”. As reinvidicações apresentadas no caderno da lista de Nuno Peixinho, atual presidente da ABIC, como contratos de trabalho e remuneração, mantêm-se.

O atraso no pagamento das bolsas de doutoramento pela FCT é um problema que se verifica todos os anos. No entanto, Bárbara Carvalho compreende que a FCT já declarou que “vão ser efetuados esforços” e, por isso, a ABIC vai aguardar.

Bárbara Carvalho afirmou que todos os bolseiros “merecem um contrato de trabalho que seja digno e que dê os direitos devidos”. A situação do estatuto dos bolseiros foi clarificada pela vice-presidente, que explicou a posição da ABIC.

A membro da ABIC comentou também que é “urgente uma atualização do valor das bolsas”, estagnadas desde 2002. Além disso, Bárbara Carvalho criticou ainda o modo como o estatuto do bolseiro é tratado pelas empresas.

O privilégio de algumas áreas de estudo foi mencionado pela vice-presidente da ABIC, que colocou as diretivas da União Europeia como uma das causas. As propostas da FCT também precisam, de acordo com Bárbara Carvalho, de ser analisadas para que a ABIC possa ter “uma opinião formada sobre a questão”.

A vice-presidente da ABIC realçou que é responsabilidade do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da FCT “acabar com a precariedade dos direitos dos trabalhadores de ciência”.

Ana Laura Simon

3
18
49
0
GMT
GMT
+0000
2019-06-19T18:49:22+00:00
Wed, 19 Jun 2019 18:49:22 +0000