29/03/19

Ernesto Costa: “Se eu tornar uma cidade melhor, as pessoas [estudantes] não sentem impulso de sair”

O Alvorada de hoje (29) contou com o comentário à atualidade do docente do Departamento de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e antigo membro do Conselho do Geral, Ernesto Costa.

O docente foi um dos quatro candidatos na corrida para reitor da Universidade de Coimbra, para o mandato de 2019/2023. O candidato vencedor foi Amílcar Falcão. Ernesto Costa aproveitou para parabenizar o colega, empossado no dia 1 de março, e ainda enumerou alguns dos desafios que a nova equipa reitoral tem pela frente.

Ernesto Costa também sublinhou as dificuldades económicas de alguns estudantes, que não têm capacidade para custear a sua frequência no Ensino Superior, como um dos principais problemas a que o novo reitor deve prestar atenção.

Ontem, na Assembleia da República, a sessão plenária trouxe à mesa vários temas ligados ao ensino superior. O financiamento das Universidades teve destaque e mereceu um comentário preocupado do docente. O orçamento de estado não prevê, na opinião de Ernesto Costa, uma verba suficiente para o crescimento funcionamento das universidades.

Durante o programa Alvorada, o docente falou também da necessidade da Universidade de Coimbra (UC), através do trabalho da nova equipa reitoral, se aproximar de organizações e instituições da cidade. Referiu a ligação à Associação Académica de Coimbra (AAC) e ao trabalho levado a cabo pela Academia, exaltando o movimento propina zero que Ernesto Costa apoia e que acredita ser uma missão onde as duas instituições podem e devem trabalhar em conjunto.

A descentralização do ensino também foi tema no programa da manhã. Para o docente da FCTUC, a descentralização é positiva. E é pela educação, principalmente, que se pode renovar o interior e fugir das cidades cliché (Porto e Lisboa), sem dúvida alguma.

Ainda assim, Ernesto Costa diz que a educação por si só, apesar de um bom ponto de partida, não é arma suficiente para fixar os estudantes nas cidades que os formaram.

Durante o Alvorada mais temas foram abordados como o acesso ao Ensino Superior dos estudantes de ensino profissional sem necessidade de realizarem exames nacionais; o manifesto do estudante anónimo que fala que “a educação não é só para meninos”; a candidatura de Nuno Peixinho para presidir a Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC); e as decisões firmadas no plenário de quinta feira (28) da Assembleia da República que, entre outras discussões sobre temas de Ensino Superior, chumbaram a proposta de revogação do regime fundacional.

O comentário pode ser ouvido na íntegra aqui:

Cátia Soares e Xavier Soares

1
15
19
0
GMT
GMT
+0000
2019-06-24T15:19:59+00:00
Mon, 24 Jun 2019 15:19:59 +0000