27/03/19

Festival END regressa a Coimbra passados dois anos


Da esquerda para direita: Delfim Leão  (Vice-Reitor da UC); Fernando Matos Oliveira (Direção TAGV); Mickael de Oliveira (Director Artístico do Festival END)

O Teatro Académico de Gil Vicente apresentou, hoje, a 4ª edição do Festival END – Encontros de Novas Dramaturgias. O Festival, organizado pelo TAGV e em articulação com outras estruturas culturais da cidade, apresenta, ao longo de três dias, produções recentes de dramaturgia em Portugal. O Diretor do Teatro Académico de Gil Vicente, Fernando Matos Oliveira, clarifica que a envolvência do TAGV com o Festival END se prende com o carácter multifuncional que caracteriza, tanto o Teatro Académico, como o Festival.

A sessão de apresentação contou, também, com a presença do vice-reitor Delfim Leão que parabenizou o trabalho do Festival END, que tem a capacidade de unir espetadores, criadores e produtores que refletem o teatro.

A partir de hoje e até dia 29 de março, o Festival END reúne 20 textos e autores, através de seminários, leituras participativas, espetáculos, uma oficina de criação, exibição de peças de teleteatro e radiofónicas, e, ainda, um debate sobre o “Ensino da Dramaturgia nas Artes Performativas”. O diretor artístico do Festival END, Mickael de Oliveira, explica que o festival reúne, na maioria, criações portuguesas e que se pode designar como um “estado da arte” do que se anda a fazer em Portugal.

A primeira edição do Festival decorreu em Lisboa, em 2010, e foi organizada pelo Coletivo 84. Na 4ª edição do END, em Coimbra, são assinalados os dez anos de existência do Coletivo 84 através do projeto “Primeiros” que apresenta, não só o trabalho de autores mais conhecidos, como também divulga os exercícios de jovens dramaturgos, em parceria com a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo. A presente edição conta, ainda, com o ciclo Ida&Volta, composto por autores que abordam a ideia de viagem e de fronteira, num triângulo que desenha a geopolítica entre Portugal, o Brasil e o Irão. O projeto “Escola do Espectador Emancipado” é outro projeto apresentado na 4ª edição. Mickael de Oliveira, explica que o projeto consiste num convite às Escolas de Ensino Superior e Profissionais para assistirem às várias atividades do Festival.

Para o ano de 2020, quando se celebram os dez anos do projeto que deu origem ao Festival END, o diretor artístico propõe que seja feito um “ano zero”, para que a estrutura do Festival seja repensada.

A edição do presente ano contou com a colaboração de Maria Inês Marques na assessoria da programação, Maria Albergaria na produção do Coletivo 84 e toda a equipa do TAGV, na produção e logística do Festival END.

Rita Ferreira e Tiago Oliva

6
22
10
0
GMT
GMT
+0000
2019-08-24T22:10:09+00:00
Sat, 24 Aug 2019 22:10:09 +0000