25/03/19

Câmara vai usar financiamento municipal para operações de ajuda em Moçambique

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, está mandatado para agilizar operações de ajuda a Moçambique com financiamento municipal. A decisão aconteceu hoje na reunião quinzenal do executivo municipal de Coimbra, onde um dos assuntos marcantes foi a situação de calamidade naquele território de língua oficial portuguesa.

Em declarações aos jornalistas no final da reunião de hoje, dia 25 de março, Manuel Machado esclareceu que a deliberação prevê um financiamento de 150.000 euros mas que valor não está fixo uma vez que não é conhecida a extensão total dos estragos provocados pelo ciclone Idai. O presidente da CMC justificou a possibilidade de alterar o valor do financiamento com a inexistência de relatórios fidedignos relativamente à situação no terreno.

Manuel Machado adiantou também que está ser analisada a possibilidade de enviar equipas de pessoal da área da saúde. Este é um plano que está a ser discutido pela Câmara de Coimbra, com o apoio do cirurgião Manuel Antunes, e em colaboração com o estado moçambicano.

O presidente do município referiu ainda que a recolha de bens a enviar para Moçambique vai acontecer através da Cruz Vermelha Portuguesa.

Os donativos em dinheiro também fizeram parte das declarações aos jornalistas. Segundo o presidente, podem ser enviados através de duas contas identificadas pela Câmara Municipal de Coimbra, uma da Cruz Vermelha e uma outra da Fundação Fernando Leite Couto. Esta última é indicada pelo escritor e filho do falecido jornalista que deu nome ao organismo, Mia Couto.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Maláui e Zimbabué, provocou 761 vítimas mortais desde dia 14 de março. Segundo os dados mais recentes, contam-se já 446 mortes em Moçambique.

André Jerónimo e Mônica Rego

3
7
56
0
GMT
GMT
+0000
2019-04-24T07:56:50+00:00
Wed, 24 Apr 2019 07:56:50 +0000