2/03/19

Reitor compromete-se com a cidade e a comunidade académica para aumentar “atratividade” da UC

Fotografia: CMC

A cerimónia de investidura do novo reitor da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão, decorreu durante a manhã, do dia 1 de março, na Sala dos Capelos. “Vejo uma instituição estimulante cuja maior riqueza seja a diversidade de civilizações e de opiniões independentemente da etnia, da religião e da condição socioeconómica”, palavras do reitor no discurso de tomada de posse.

Uma alocução marcada pela intenção de construção de pontes com a comunidade académica, com a Câmara Municipal de Coimbra (CMC) e com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, na promoção do progresso da região e do país, colocando a UC como ‘player’ internacional e “assumindo responsabilidades no âmbito da Lusofonia”.

Aos três pilares de missão do programa de candidatura, “ensino, investigação&inovação, desafios societais”, o reitor da UC acrescentou um quarto que considera transversal, a internacionalização. Amílcar Falcão insistiu que o foco da Universidade deve estar na “produção de conhecimento interdisciplinar de elevada qualidade”.

Do curriculum do novo reitor da UC consta o trabalho desenvolvido no âmbito dos Jogos Europeus Universitários e a coordenação da investigação na instituição, onde trabalhou de perto com estudantes de todos os ciclos e com a Associação Académica de Coimbra (AAC). Na cerimónia o reitor da UC prometeu ouvir e apoiar a comunidade estudantil de forma permanente, na procura de soluções para os problemas do Ensino Superior, para que a “Academia fale a uma só voz”.

O reitor considerou que o maior desafio que a instituição “tem pela frente” passa pela capacidade em atrair os melhores recursos humanos, sejam eles “estudantes, investigadores, docentes, corpo técnico e agentes empresariais e civis”. No entendimento de Amílcar Falcão, “mais qualidade vai gerar mais recursos que a todos beneficiará”.

Não faltou uma palavra de agradecimento aos que com ele estiveram na corrida ao cargo de reitor da UC, aos antigos reitores Seabra Santos, Rui Alarcão e Fernando Rebelo e aos colegas da anterior reitoria liderada por João Gabriel Silva, a quem abraçou de forma emotiva na sessão de cumprimentos que decorreu na Sala do Senado, logo após a cerimónia de investidura.

Fotografia: CMC

Do decano da Universidade de Coimbra, Aníbal Traça de Almeida, docente na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), o novo reitor ouviria palavras de apreço pela produção científica mas também a apresentação de um caderno reivindicativo em relação à “burocracia” que a UC impõe aos docentes. De particular relevância para o docente da FCTUC a importância da autonomia do corpo docente, que a quantidade de tarefas administrativas impede de dedicar mais atenção às atividades de ensino e investigação.

O decréscimo das bolsas de doutoramento atribuídas pela FCT foi outro dos destaque de Aníbal Traça de Almeida, que instigou a UC a promover a atribuição de bolsas com isenção total ou parcial de propinas ao terceiro ciclo. Em contrapartida os doutorandos poderiam “colaborar nas aulas práticas ligadas aos temas dos trabalhos de doutoramento”, o que na opinião do docente traria “benefícios múltiplos”.

A competitividade entre instituições de Ensino Superior e a “qualidade” dos alunos que todos os anos chegam à UC preocupam o decano que afirma acreditar, mais do que preencher vagas, se torna necessário que a instituição receba os que coloquem a UC como primeira escolha. A fraca visibilidade para o exterior da “excelência” do ensino das engenharias na FCTUC, plasmada na posição da UC no ranking Internacional de Xangai nestas áreas, levou Aníbal Traça de Almeida a referir a necessidade de um Plano Estratégico de divulgação para atrair “os melhores alunos”.

O pedido de retirada de uma linha de Alta Tensão, que passa muito perto do telhado de um dos edifícios do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, no pólo II, onde o decano é docente, mereceu registo no discurso. Ficou ainda a sugestão de uma aposta nos domínios da agroindústria, à semelhança do que já acontece na Califórnia nos Estados Unidos.

Após a cerimónia de investidura que decorreu na Sala dos Capelos, tomaram posse na Sala do Senado, dois pró-reitores e oito vice-reitores. Da equipa pró-reitoral fazem parte: Patrícia Pereira da Silva no planeamento e José Pedro Figueiredo que vai tutelar a Saúde Global, Cooperação em Saúde e Bioética.

Como vice-reitores Amílcar Falcão deu posse a: Luís Simões da Silva para a Inovação e Empreendedorismo, Luís Neves nas Finanças e Recursos Humanos, Delfim Leão na Cultura e Ciência Aberta, Alfredo Dias com o Património, Edificado e Infraestruturas, Cláudia Cavadas para a Investigação e 3º Ciclo e a Cristina Albuquerque nos Assuntos Académicos e Serviços de Ação Social. Luís Neves vai substituir o reitor da UC nas ausências e impedimentos.

A Rádio Universidade de Coimbra esteve em emissão especial durante o dia, tendo difundido em direto os discursos proferidos na cerimónia de investidura do novo reitor da UC, Amílcar Falcão.

Isabel Simões

1
19
45
0
GMT
GMT
+0000
2019-03-18T19:45:27+00:00
Mon, 18 Mar 2019 19:45:27 +0000