1/03/19

RUC’33 | Joaquim Reis “[Sem a RUC] hoje eu não seria jornalista”

Carolina Cardoso, André Jerónimo e Joaquim Reis na emissão especial de exterior de 33º Aniversário da Rádio Universidade de Coimbra

Hoje (1) é dia de festa! Longe do edifício da Associação Académica de Coimbra, a Rádio Universidade de Coimbra (RUC) faz 33 anos com uma emissão especial, no átrio do departamento de Química da Universidade de Coimbra (UC).

A emissão começou às 9 da manhã, com o programa de informação Alvorada. O comentário ficou a cargo do ru(iano e jornalista da Rádio Difusão Portuguesa (RDP), Joaquim Reis. Ao microfone da RUC canta os parabéns e faz um agradecimento especial, pela influência decisiva da Rádio no seu percurso profissional.

A RUC pode celebrar 33 anos, mas Joaquim Reis conhece-a desde a sua formação, quando ainda era Centro Experimental de Rádio (CER). Foi, desde o início, um espaço de liberdade para os seus sócios experimentarem novos conceitos coleccionando, pelo caminho, memórias e histórias engraçadas para partilhar. 

Na RUC há espaço para tudo. Com potencial para agradar a gregos e troianos, nas palavras que Joaquim Reis, a RUC, reconhece, é uma verdadeira rádio-escola, com um espírito de camaradagem.

Questionado sobre o futuro da rádio, o jornalista não concorda com “arautos da desgraça” que diagnosticam uma saúde débil ao meio de comunicação. E frisa a necessidade de informação. Aliás, boa informação, que fuja a uma filosofia de youtube.

E, antes do twitter e das redes sociais, Joaquim Reis lembra como a informação circulava. Refere os tempos de conversas, entre cervejas, no café Mandarim, em Coimbra. Hoje, essas conversas por “personagens caricatas” ganham um eco desmesurado no mundo virtual.

O jornalista conta como os conceitos “comunicação” e “jornalismo” são confundidos, não só pela população em geral, como, mais preocupante, por órgãos de comunicação.

Joaquim Reis teve um percurso académico bem recheado, com uma passagem pela licenciatura de Direito, de Jornalismo e de História. E é este último que considera uma valência para qualquer jornalista: tudo tem uma história que deve ser conhecida e preparada antes do trabalho de campo.

Durante o Alvorada mais temas foram abordados:
a tomada de posse do novo reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão; a praxe e, no âmbito internacional, a situação política na Venezuela.

Pode ouvir o comentário na íntegra aqui:.

Cátia Soares

4
3
47
0
GMT
GMT
+0000
2019-05-23T03:47:54+00:00
Thu, 23 May 2019 03:47:54 +0000