7/02/19

Ana Maria Ramalheira: “Direito à vida sobrepõe-se ao direito à greve”

O Alvorada de hoje (7) teve como comentadora a professora da Universidade de Aveiro e membro da Associação de Defesa e Apoio da Vida (ADAV), Ana Maria Ramalheira.

Foi anunciado esta semana o lançamento do concurso para a empreitada da 1ª fase do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), referente ao troço entre Serpins e Alto de São João. O investimento é de 25 milhões de euros. Ana Maria Ramalheira diz que a situação do Sistema de Mobilidade do Mondego “deve envergonhar-nos a todos”. A comentadora recorda que o governo tem uma taxa de execução muito baixa do plano Ferrovia 2020, o que a leva a sentir ceticismo quanto ao concurso anunciado.

Morreram nove mulheres vitimadas por violência doméstica em Janeiro de 2019. O Governo vai reunir-se esta quinta-feira com a procuradora-geral da República, Lucília Gago, e as forças de segurança para encontrar respostas para o problema. Ana Maria Ramalheira, que acompanha situações do género na ADAV, diz que a situação é “absolutamente inqualificável”. Para a comentadora, a violência doméstica é um sintoma de outros problemas.

Os enfermeiros continuam a sua greve às cirurgias. O primeiro ministro levantou a possibilidade de a greve ser ilegal e o Partido socialista quer saber “quem paga e como paga” a greve. Ana Maria Ramalheira diz que “o direito à vida se sobrepõe ao direito à vida”. A professora manifestou-se contra a greve, que classifica de “ilegítima e selvagem”, e considera as reivindicações dos enfermeiros “irresponsáveis”.

O comentário pode ser ouvido na íntegra aqui.

António Calheiros

3
20
29
0
GMT
GMT
+0000
2019-07-17T20:29:55+00:00
Wed, 17 Jul 2019 20:29:55 +0000