23/01/19

Teatro da ESEC convida para visita guiada à “Exposição – Contam-se pelos dedos de uma mão e um do pé”

Fotografia: sítio da Intenet da ESEC

“Museu de Perdidos e Achados”, o projeto da turma do 3ºano da licenciatura em Teatro e Educação da Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC), estreou hoje, dia 23 de janeiro no Polo II da ESEC. Os espetáculos repetem-se de 24 a 26 e de 30 a 31 de janeiro e em 1 e 2 de Fevereiro.

A RUC entrevistou o encenador da peça, Ricardo Correia que é também professor da disciplina na ESEC. Contou-nos que o curso celebra 18 anos de atividade, a maioridade trouxe a responsabilidade de um “projeto de intervenção na comunidade”. A escolha do local de apresentação – no Polo II da ESEC, perto da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra – teve o propósito de revitalizar e dar a conhecer aos alunos o local cheio de histórias.


A obra toma a forma de uma visita guiada à “Exposição – Contam-se pelos dedos de uma mão e um do pé”. Por entre vitrinas e desaguisados revisitam-se vidas dos que por lá estudaram e trabalharam. O ex-segurança que abria e fechava o espaço e, nas entrelinhas, imaginava o que estava por detrás das máscaras dos alunos, é uma das narrativas a desvendar.


As vivências de todos os que frequentaram o espaço ou moravam perto serviram de mote ao desenho da obra. Isa Mara, aluna finalista veste o papel de atriz e ajuda na produção do espetáculo. À RUC disse o que a surpreendeu mais.


O espaço do polo II da ESEC tinha sido um parque onde tinham brincado gerações de habitantes daquela zona da cidade de Coimbra. Isa Mara afirmou compreender as razões que os levaram a protestar quando o parque deixou de estar disponível, sem que lhes fossem comunicadas as razões.


À semelhança do curso do ano letivo passado, o projeto segue depois em digressão por algumas das terras de origem dos alunos: Nazaré a 8 e 9 de fevereiro, Braga, Condeixa e Arganil em datas a agendar. A aluna responsável pela comunicação e também atriz, Ana Oliveira, revela que o maior desafio vai ser adaptar a peça aos espaços onde vão atuar.


A entrada é livre mas a dotação da sala só permite 30 lugares pelo que é necessário reserva antecipada. O início está marcado para as 21h30. Mais informação aqui.

Isabel Simões

5
19
29
0
GMT
GMT
+0000
2019-05-24T19:29:39+00:00
Fri, 24 May 2019 19:29:39 +0000