13/11/18

Venda da madeira de matas ardidas “correu menos bem”

O governo admitiu que a venda da madeira das matas ardidas em outubro de 2017 “correu menos bem”. Durante uma visita à Mata Nacional de Leiria onde vai iniciar a reflorestação de 460 hectares o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, sublinha que à exceção da venda de madeira o calendário das florestas tem vindo a ser cumprido à risca.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O dinheiro da venda de madeira ardida estava destinado à recuperação de matas públicas. Para concretizar o investimento nas florestas e sua proteção o governo recorreu ao Fundo Florestal Permanente. O governante sublinhou que os 460 hectares de terreno do Pinhal de Leiria vão ficar preparados até maio para se poder iniciar a plantação de pinheiros mansos e pinheiros bravos. Para Miguel Freitas a visita foi um ato simbólico, que “marca o dia em que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas iniciou a recuperação das áreas ardidas”.

Lusa//Inês Baptista

2
10
57
0
GMT
GMT
+0000
2018-12-11T10:57:38+00:00
Tue, 11 Dec 2018 10:57:38 +0000