3/01/18

Luís Providência: “É preciso fixar população residente na baixa”

O Alvorada de hoje (3) contou com o comentário à atualidade de Luís Providência, presidente da Concelhia de Coimbra do CDS/PP e ex-vereador da Câmara Municipal de Coimbra (CMC).

Os comerciantes e restauradores da baixa de Coimbra fizeram um balanço muito positivo da noite de passagem de ano na cidade. Aplaudiram o facto de os espetáculos estarem divididos por várias zonas, o que permitiu dinamizar a baixa no seu todo. Segundo contas da autarquia, o número de pessoas terá superado o de 2016. Os restauradores pugnam agora por mais eventos durante todo o ano.

Luís Providência frisou que a CMC deveria apostar durante todo o ano na baixa e encontrar soluções para a fixação da população, o estacionamento e a segurança.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O Ministério da Saúde propôs que os médicos que façam a especialização no interior tenham um prémio de 40% do salário. No entanto, se abandonarem depois aquela região, ficam de fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS) durante três anos. O ex-vereador da CMC considerou a medida positiva.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, utilizou ontem o veto político relativamente às alterações à lei do financiamento dos partidos políticos. O presidente da república justificou a decisão com base na ausência de fundamentação publicamente escrutinável quanto à mudanças introduzidas. A lei introduz, entre outros, o fim ao limite para a obtenção de receitas através de angariação de fundos e permite que os partidos sejam reembolsados do valor do IVA em despesas de forma genérica. O parlamento aprovou as alterações no dia 21 de dezembro, com votos contra do CDS-PP e do PAN.

Luís Providência sublinhou a coragem e coerência do Presidente da República e afirmou que alguns partidos portugueses necessitam urgentemente de financiamento, já que estão com saldo negativo.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Pedro Santana Lopes formalizou ontem a candidatura à liderança do PSD. O antigo primeiro-ministro entregou na sede nacional do Partido Social Democrata a moção de candidatura, com o slogan “Unir o partido, ganhar o país”.

Em relação ao adversário na liderança do PSD, Santana Lopes lamentou que a moção do Rui Rio teça muito mais considerações negativas sobre o PSD do que sobre outros partidos. Santana Lopes fez questão de salientar uma grande diferença que separa as duas candidaturas à liderança do PSD – o posicionamento em relação a um acordo de Governo com o Partido Socialista, o chamado Bloco Central.

O presidente da Concelhia de Coimbra do CDS/PP acredita que esta diferença de posicionamento dos candidatos vai ser importante na escolha dos militantes. Luís Providência afirmou ainda que, para o CDS-PP, Santana Lopes é o candidato mais perigoso.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

As eleições para a presidência do PSD são a 13 de janeiro. Pedro Santana Lopes ou Rui Rio, um deles vai substituir Pedro Passos Coelho.

No Alvorada de hoje foram ainda discutidas as queixas dos diretores das escolas relativamente à falta de aquecimento e a alta taxa de sinistralidade rodoviária verificada anualmente em Portugal.

O comentário pode ser ouvido na totalidade aqui.

Joana Gomes

3
22
21
0
GMT
GMT
+0000
2018-05-23T22:21:48+00:00
Wed, 23 May 2018 22:21:48 +0000