24/08/17

Descoberta maior floresta fossilizada do período Pérmico em África

Foi divulgada hoje a descoberta da mais extensa floresta fossilizada do continente africano, na província de Tete em Moçambique. O achado, que pertence ao período Pérmico, tem cerca de 250 milhões de anos e foi feita pelos paleontólogos, Dino Millise, Nelson Nhamutole e Ricardo Carvalho. O último, do Instituto Superior Técnico e do Museu da Lourinhã, em entrevista à Agência Lusa, explicou a importância de conhecer fósseis do período Pérmico, um achado incomum.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Os troncos descobertos pertencem ao género de árvores Dadoxylon, uma classificação antiga que engloba muitas espécies diferentes. O estudo da descoberta dos paleontólogos luso-moçambicanos poderá por isso determinar novos géneros e novas espécies botânicas. O paleontólogo descreveu alguns dos exemplos das plantas fossilizadas encontradas.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Moçambique é o país com mais registos de florestas do período Pérmico e encontra-se entre as seis áreas do mundo com mais registos de troncos fossilizados. Ricardo Carvalho diz ser raro descobrir floresta fossilizada ao longo de mais de 75 quilómetros.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A descoberta foi feita durante uma expedição realizada no âmbito de uma cooperação entre o Museu de Geologia de Moçambique, o Instituto Superior Técnico e o Museu da Lourinhã que decorreu entre 29 de julho e 17 de agosto.

Inês Baptista com Agência Lusa

5
6
07
0
GMT
GMT
+0000
2018-02-23T06:07:40+00:00
Fri, 23 Feb 2018 06:07:40 +0000