14/08/17

José Dias: “É impensável ter essa quantidade de incêndios”

O Alvorada desta segunda-feira, 14 de agosto, contou com o comentário à atualidade por parte de José Dias, ex-presidente da Direção Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC).

No cenário regional, a conversa começou por tratar dos incêndios deste fim-de-semana que assolaram as regiões de Coimbra, Cantanhede, Mealhada e Miranda do Corvo. O Jornal de Notícias destacou que, às 21h de ontem, em quase metade do território português o risco era máximo ou muito elevado, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera e a Proteção Civil. José Dias deixou o seu parecer sobre o que deve ser feito para evitar novos fogos e quais são as possíveis causas destas tragédias.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Ainda no âmbito regional, falou-se também sobre educação. Seis escolas de Coimbra vão integrar o projeto Autonomia e Flexibilidade Curricular no ano letivo de 2017/2018. No país, são 235 que vão poder implementar a iniciativa nos ensinos básico e secundário. O antigo presidente da DG/AAC analisou a solução educacional.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

No panorama nacional, o líder da oposição, Pedro Passos Coelho, fez críticas negativas à “geringonça” durante a Festa do Pontal, ocorrida neste domingo a noite. O ex-primeiro ministro disse também que o país precisa de uma estratégia reformista, o que, segundo ele, é impossível com a solução governativa atual. A este respeito, José Dias comentou as afirmações do líder do PSD.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O passado fim-de-semana ficou marcado pela marcha “Unir a Direira” em Charlottesville, no estado norte-americano da Virgínia. Na iniciativa participaram apoiantes da extrema-direita dos Estados Unidos da América (EUA), como os pertencentes ao movimento Alt-right e etno-nacionalistas onde estavam representados grupos como os neonazis e o Ku Klux Klan.

Diversos confrontos entre manifestantes e contra-manifestantes e toda a violência vivida em Charlottesville durante o fim-de-semana levou a que as autoridades estaduais viessem a classificar o evento da extrema-direita como ilegal e à declaração de estado de emergência. Para José Dias, a linha de discurso do atual presidente dos EUA tem consequências na radicalização que considera cada vez maior no seio da sociedade norte-americana.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Durante o programa de hoje, falou-se também sobre o crescimento de mais de 6% do porto de Figueira da Foz em comparação com 2016, a reutilização de materiais escolares que já poupa centenas de milhares de euros e o crescimento nas vendas de casas em todo o país, entre outros temas.

Houve ainda tempo para a rubrica Busílis da Gestão, na voz de António Calheiros.

O comentário pode ser ouvido na íntegra aqui.

André Pinheiro e Lucas Fidalgo

3
1
23
0
GMT
GMT
+0000
2018-02-21T01:23:54+00:00
Wed, 21 Feb 2018 01:23:54 +0000